Festival de Letras de Santarém junta sinergias para fazer programação diversificada

A primeira edição do Festival de Letras de Santarém vai acontecer de 21 a 29 de abril, na Casa do Campino, aglomerando "sinergias locais, com o livro, como denominador comum", e oferecendo uma programação diversificada.

Apresentado hoje em conferência de imprensa, o Festival de Letras de Santarém (FLSantarém), promovido pelo serviço de Bibliotecas, Arquivo e Património Cultural da Câmara de Santarém, tem como principais parceiros o Instituto Politécnico de Santarém, através das escolas superiores de Educação e de Desporto, e os quatro agrupamentos escolares e as duas escolas profissionais do concelho.

A vereadora com o pelouro da Cultura e da Educação, Inês Barroso, referiu o caráter "diferenciador e inovador" do projeto, sublinhando o facto de, embora se dirigir a todos os públicos, o festival ser vocacionado para um público mais jovem, em formação, para quem foi preparado um vasto conjunto de atividades em todas as manhãs dos dias úteis em que decorre o evento.

António Matias, técnico do município, destacou a preocupação em criar "algo diferente" de uma tradicional feira do livro, e revelou a "surpresa" que foi tomar contacto com a quantidade de projetos em curso no concelho, principalmente na Escola Superior de Educação de Santarém (ESES), e que vão estar presentes no festival.

O espaço da Casa do Campino vai acolher mais de uma dezena de editoras e uma exposição da Biblioteca Nacional de Portugal sobre Prémios Nobel da Literatura, sendo a área dos claustros preenchida com três espaços para eventos, nomeadamente, um auditório para espetáculos, conferências, mesas redondas, uma ludoteca dinamizada pela ESES e o Spotimm, um iglu onde serão projetados filmes ligados à ciência.

Todos os dias, às 18:30, será "Hora do Escritor", com a apresentação de livros ou de projetos como "Autores digitais", da ESES, e, às 21:30, há sempre espetáculos de música e teatro, referiu.

Algumas iniciativas irão decorrer nas ruas do centro histórico de Santarém, como o "Baú de Livros", ou nas instalações da ESES, como o 'workshop' sobre "criatividade em ambientes educativos", realizando-se ainda visitas guiadas temáticas à cidade, inspiradas nas "Viagens na Minha Terra", de Almeida Garrett.

Durante o festival será feita a apresentação de um projeto internacional que envolve docentes e alunos da ESES e que procura promover a inclusão social e a empregabilidade dos cidadãos europeus com síndrome de Down, através do turismo e das competências eletrónicas e o relançamento do livro que resultou do projeto "Incluir", promovido pelo Serviço de Psiquiatria e Doença Mental do Hospital Distrital de Santarém.

O festival vai coincidir com a realização de outros dois eventos na cidade, as comemorações do 25 de Abril e o Scalabis Night Race, articulando-se com eles e esperando beneficiar da presença dos milhares de participantes nesta corrida noturna.

Inês Barroso referiu o facto de a cafetaria da Casa do Campino ser explorada durante o evento pelas Instituições Particulares de Solidariedade Social do concelho. No espaço exterior, estarão carrinhas de 'street food'.

Ler mais

Exclusivos