Exposição 'Pão de Cada Dia' retrata trabalho invisível de trabalhadores luso-canadianos

A exposição 'Pão de Cada Dia' é hoje inaugurada em Hamilton, no Canadá, culminando um projeto que "reconhecer o trabalho invisível dos operários luso-canadianos que ajudaram a construir o Canadá", disse hoje à agência uma fonte da organização.

"Queremos reconhecer o trabalho invisível dos portugueses que ajudar a construir o Canadá. Os trabalhos que fazem manualmente não são tão valorizados", afirmou Teresa Ascenção.

A exposição da artista plástica de 48 anos, filha de emigrantes açorianos, vai estar patente até ao dia 17 de agosto, no Workers Arts & Heritage Centre, em Hamilton, a 70km do sul de Toronto.

"Tenho 20 anos de carreira nas artes, e gosto de trabalhar em temas coma a igualdade de género, sexualidade, ou as diferentes classes sociais. Esta é uma forma de dar a conhecer os portugueses que utilizam as suas mãos para o seu trabalho à base da força", acrescentou.

Em exibição vão estar cerca de 20 peças concluídas ao longo de 20 anos de carreira.

O material em exibição estará protegido da iluminação e do sol, tendo em conta a natureza das peças.

"Esta exibição tem o potencial de se tornar invisível devido à natureza dos trabalhos. No entanto tomamos as medidas necessários para que os trabalhos não sejam afetados por muita iluminação", explicou.

Segundo a artista, as várias peças são influencia por produtos utilizados na cozinha portuguesa e açoriana.

"Espremo o sumo dessas plantas, por exemplo beterraba, espinafre, amora, pimentão vermelho e vinho tinto. Com esse sumo cubro um papel e deixo secar, e coloco uma imagem transparente por cima do sumo seco. Depois vai para a janela, para ficar exposto ao sol. A imagem fica no papel, e pode demorar várias semanas a secar, dependentemente do produto utilizado", explicou.

A exibição 'Pão de Cada Dia' será acompanhada por um programa dinâmico de primavera e verão, onde se incluem programas para crianças e jovens, com discussão pública da artista e com historiadores desde Hamilton a Toronto.

Calcula-se que existem cerca de 480 mil portugueses e lusodescendentes no Canadá.

 

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...