Exames/Secundário: Escolas melhoram resultados a Física e Química

Mais de metade das escolas passaram em 2018 no exame nacional de Física e Química do secundário, melhorando face ao ano anterior e fixando a média mais alta nos 16,5 valores, segundo dados disponibilizados pelo Ministério da Educação.

A média mais alta foi registada pelo Colégio Mira Rio, em Lisboa, que teve como média em exame exatamente a mesma da classificação interna final (CIF) média da escola, de acordo com uma análise da Lusa aos dados dos resultados dos exames nacionais em 2018 divulgados pelo Ministério da Educação.

Entre as melhores vinte, há apenas uma escola pública nesta lista: a Escola Secundária Dr. João Lopes de Morais, em Mortágua, Viseu, com 13 provas realizadas, obteve uma média de 14,08 valores, abaixo dos 16,54 da média da CIF.

Ao Colégio Mira Rio seguem-se o Colégio Nossa Senhora do Rosário e o Colégio Nossa Senhora da Paz, ambos no Porto, o Colégio da Rainha Santa Isabel, em Coimbra, e a Academia de Música Santa Cecília, em Lisboa, todos com médias em exame acima dos 15 valores, mas em alguns casos a mais de dois valores de distância da CIF média.

Cerca de 55% das escolas passaram no exame de Física e Química, melhorando face ao ano anterior, quando seis em cada dez tinham obtido uma nota negativa na prova.

As médias mais baixas estão entre os quatro e os seis valores.

Em termos distritais Coimbra lidera a lista, com a média mais alta em exame de 11,5 valores, seguindo-se Porto e Viseu.

Beja, Guarda, Portalegre, Vila Real, regiões autónomas da Madeira e dos Açores, Bragança e as escolas portuguesas no estrangeiro registaram médias negativas, mas em alguns casos a poucas centésimas dos 10 valores.

Exclusivos