Euro sobe com investidores a digerir resultado das eleições em Espanha

Lisboa, 29 abr 2019 (Lusa) -- O euro subiu hoje face ao dólar numa sessão em que alguns dados confirmaram a fraqueza económica da zona euro e os resultados das eleições em Espanha não tiveram impacto na taxa de câmbio.

Às 18:15 (hora de Lisboa) o euro valia 1,1179 dólares quando na sexta-feira, pela mesma hora, negociava a 1,1164 dólares.

O euro também subiu face à libra e ao iene.

O Banco Central Europeu (BCE) fixou hoje a taxa de câmbio de referência do euro em 1,1150 dólares.

A moeda única foi hoje condicionada pela queda da confiança dos consumidores e empresários na zona euro em abril até aos 104 pontos.

A Comissão Europeia divulgou que o indicador do sentimento económico registou quebras em abril, face a março, tanto na zona euro (1,6 pontos) quanto na União Europeia (1,5 pontos,).

Do outro lado do Atlântico foi divulgado que as despesas dos consumidores norte-americanos aumentaram 0,9% em março, depois da ligeira subida de 0,1% registada em fevereiro.

Os investidores também ficaram a saber que o índice de preços no consumidor - indicador usado pela Reserva Federal norte-americana para medir a inflação -, manteve-se em março, na comparação com o mês anterior, tendo subido 1,6% na comparação com o mesmo período do ano passado, abaixo do previsto.

Os principais índices bolsistas europeus encerraram hoje com ganhos ligeiros, numa sessão em que os investidores reagiram com tranquilidade ao resultado das eleições em Espanha, nas quais o PSOE ganhou, mas não conseguiu uma maioria suficiente para governar sozinho.

A condicionar as negociações nos mercados europeus estiveram também as expectativas em torno da próxima ronda de negociações entre a China e os Estados Unidos sobre tarifas comerciais, que ocorrerá esta semana.

Os investidores antecipam igualmente que os responsáveis de política monetária da Reserva Federal norte-americana mantenham as taxas de juros inalteradas na quarta-feira.

Divisas..........hoje................sexta-feira

Euro/dólar.......1,1179...................1,1164

Euro/libra.......0,86431.................0,86339

Euro/iene.........124,99..................124,55

Dólar/iene.......111,81...................111,56

Exclusivos

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz hoje, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz amanhã, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.