Estados Unido, México e Canadá querem renegociar acordo de livre comércio

Estados Unidos, México e Canadá vão renegociar "rapidamente" o acordo de livre comércio da América do Norte (NAFTA) afirmou, na noite de quarta-feira, a Casa Branca, garantindo que Washington não se vai retirar do tratado.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, "concordou não terminar o tratado neste momento e os líderes [dos três países] acordaram agir rapidamente, de acordo com os procedimentos internos, para permitir a renegociação do acordo em benefício dos três", indicou a Casa Branca.

Trump manteve conversações "agradáveis e construtivas", ao telefone, com o homólogo mexicano, Enrique Pena Nieto, e com o primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, de acordo com um comunicado.

"O resultado final tornará os três países melhores e mais fortes", referiu na mesma nota.

O anúncio chegou poucas horas depois de vários meios de comunicação social norte-americanos, como o Wall Street Journal, terem informado que a Casa Branca estava a considerar uma retirada unilateral do NAFTA, com base num projeto de ordem executiva a que tiveram acesso.

A elaboração de uma ordem executiva nesse sentido estaria prestes a ser concluída, especificaram fontes da Casa Branca ao 'site' Politico. De acordo com o New York Times, que citou um responsável da Administração norte-americana, seria provável que Trump assinasse esse decreto.

O secretário do Comércio norte-americano, Wilbur Ross, considerou estas informações rumores. "Houve um rumor hoje [quarta-feira] de que existiria um decreto, só um rumor, e o meu hábito é comentar o que nós fazemos e vamos fazer e não rumores".

Em março, Wilbur Ross tinha afirmado já que Washington pretendia desencadear nas "próximas semanas" o processo de renegociação.

Donald Trump descreveu o acordo, assinado em 01 de janeiro de 1994, como desastroso por ter causado a perda de milhões de empregos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

Isabel Moreira ou Churchill

Numa das muitas histórias que lhe são atribuídas, sem serem necessariamente verdadeiras, em resposta a um jovem deputado que, apontando para a bancada dos Trabalhistas, perguntou se era ali que se sentavam os seus inimigos, Churchill teria dito que não: "Ali sentam-se os nossos adversários, os nossos inimigos sentam-se aqui (do mesmo lado)." Verdadeira ou não, a história tem uma piada e duas lições. Depois de ler o que publicou no Expresso na semana passada, é evidente que a deputada Isabel Moreira não se teria rido de uma, nem percebido as outras duas.