Estabilidade do euro "ameaçada" se Itália desrespeitar compromissos -- França

O ministro da Economia francês, Bruno Le Maire, advertiu hoje que a estabilidade da zona euro fica "ameaçada" se o próximo governo de Itália não respeitar os compromissos do país em relação à dívida e ao défice.

"Se o novo governo italiano assumir o risco de não respeitar os seus compromissos sobre a dívida, o défice e o saneamento da banca, é toda a estabilidade da zona euro que é ameaçada", disse o ministro francês numa entrevista difundida pela rádio Europe 1.

Os partidos populistas de Itália Liga (extrema-direita) e Movimento 5 Estrelas (antissistema) apresentaram na sexta-feira um "contrato de governo" que defende a revisão da estrutura de governação económica europeia, incluindo a política monetária, o pacto de estabilidade, o pacto orçamental ou o mecanismo europeu de estabilidade.

Os líderes dos dois partidos, Luigi di Maio, do M5S, e Matteo Salvini, da Liga, preveem apresentar esse programa na segunda-feira ao Presidente italiano, Sergio Mattarella, com vista à formação de um governo de coligação.

"Todos em Itália devem compreender que o futuro de Itália é na Europa e não em qualquer outro lado e que, para que esse futuro seja na Europa, há regras a respeitar", disse Le Maire.

"Os compromissos que foram assumidos por Itália [...] são válidos seja qual for o ovgerno. Respeito a decisão soberana do povo italiano, mas há compromissos que nos ultrapassam", insistiu.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

O Mourinho dos Mourinhos

"Neste país todos querem ser Camões mas ninguém quer ser zarolho", a frase é do Raul Solnado e vem a propósito do despedimento de José Mourinho. Durante os anos de glória todos queriam ser o Mourinho de qualquer coisa, numa busca rápida encontro o "Mourinho da dança", o "Mourinho da política", o "Mourinho da ciência" e até o "Mourinho do curling". Os líderes queriam ter a sua assertividade, os homens a sexyness grisalha e muitas mulheres queriam ter o Mourinho mesmo.