ENI arranca com nova produção em bloco petrolífero no 'offshore' angolano

A petrolífera italiana ENI anunciou hoje o início da produção num novo poço de exploração de petróleo no 'offshore' angolano, que deverá garantir uma média de 13.000 barris por dia.

Num comunicado, a ENI indica que o novo poço situa-se no campo de Vandumbu, 350 quilómetros a noroeste de Luanda e 130 a oeste do Soyo (norte), no bloco 15/06.

O início da produção no poço VAN-102 - que se segue à introdução do segundo Subsea Multiphase Boosting System (SMBS) - é mais um passo no desenvolvimento do campo Vandumbu, cujo começo das operações aconteceu a 29 de novembro de 2018, três meses antes do previsto.

Em conjunto com o início da produção noutro poço no Campo de Mpungi, a capacidade do bloco 15/06 poderá atingir os 170.000 barris por dia.

O início da produção em Vandumbu, acrescenta o documento, é mais um passo no desenvolvimento da estratégia da ENI no Bloco 15/06, onde a petrolífera já explora outros oito campos desde novembro de 2014, quando deu início à produção no campo de Sangos.

O Bloco 15/06, em águas profundas que variam entre os 200 e os 1.800 metros, está a ser explorado por um consórcio formada pela ENI Angola e Sonangol, enquanto concessionária estatal petrolífera (ambas com uma participação de 36,86%) e também pela SSI Fifteen Limited (26,32%).

O envolvimento da ENI com a Sonangol inclui outras atividades, como na assistência técnica para melhorar a eficiência da Refinaria de Luanda, bem como o apoio ao desenvolvimento de outras refinarias (Lobito e Soyo) e ainda projetos de exploração de gás e de energia renovável.

A ENI está presente em Angola desde 1980, contando com uma produção média de petróleo que ronda atualmente os 150.000 barris por dia.

Angola é o segundo maior produtor de petróleo em África, apenas atrás da Nigéria, com cerca de 1,5 milhões de barris por dia.