Endesa quer reforçar liderança nos clientes industriais de eletricidade em Portugal

A Endesa quer reforçar a sua liderança na comercialização de eletricidade a clientes industrias, através de serviços de valor acrescentado, cujo volume de negócio quer aumentar em 70% até 2021, disse o responsável por Portugal em entrevista à Efe.

Presente há 25 anos em Portugal, a energética espabhola quer aumentar a sua posição no segmento de clientes industriais, através de serviços de valor acrescentado, como a digitalização ou a eficiência energética.

A empresa iniciou em Portugal a estratégia de serviços de valor acrescentado há quatro anos e já acumula mais de 10 milhões de euros, de faturação, segundo Vasco Gomes, responsável em Portugal dos Serviços de Valores Acrescentado.

A empresa vai desenvolver novos produtos de serviços de valor acrescentado para clientes industriais, com enfoque em sistemas de digitalização e sistemas de gestão de energia.

A espanhola Endesa (detida pelo grupo italiano ENEL) opera em Portugal como fornecedora de eletricidade, gás e serviços de valor agregado com um volume de negócios anual superior a 1.000 milhões de euros.

Nos últimos quatro anos, realizou até 260 projetos de serviços de valor acrescentado para 150 empresas portuguesas e quer crescer.

Um dos últimos projetos desenvolvidos, a concluir este verão, foi a instalação de mais de 30 mil lâmpadas de tecnologia LED em sete centros comerciais de uma rede internacional, tanto para economizar energia como para melhorar a iluminação.

Além dos produtos relacionados com energia elétrica, a área de Serviços de Valor Acrescentado da Endesa em Portugal também oferece aos clientes soluções relacionadas com energia solar ou gás.

A Endesa é líder na comercialização de eletricidade a clientes industriais, com 29% de quota de mercado, com a EDP (incumbente) a ter o maior número de clientes (82%) como de consumo (42%), segundo dados de maio do regulador português da energia.

Já a também espanhola Iberdrola tem a liderança no segmento dos grandes consumidores (33%).

O mercado livre representou em maio cerca de 94% do consumo total de eletricidade em Portugal continental.

A Endesa fechou 2017 com um lucro de 1.463 milhões de euros, que representou um aumento de 3,7% face ao ano anterior, o que inclui a operação em Portugal.