Empresários de Leiria dizem que proposta da UGT para fixar empresas no Interior é positiva

A Nerlei - Associação Empresarial da Região de Leiria disse hoje que a redução do IRC à taxa de 0% para garantir a atração de empresas para o Interior proposta pela UGT é positiva, mas uma medida avulsa.

"Apesar de reconhecermos o caráter positivo inerente à proposta, não podemos deixar de referir que se trata de uma medida avulsa", disse à agência Lusa o presidente da Nerlei, Jorge Santos.

Jorge Santos salientou que para a Nerlei, que conta com 1.200 associados, "seria mais importante firmar um Pacto Nacional para a Competitividade onde, natural e forçosamente, estariam incluídas medidas para dinamização económica das regiões do interior".

O secretário-geral da UGT, Carlos Silva, defendeu na terça-feira a redução do IRC à taxa de 0% durante um período inicial de três anos para garantir a atração de empresas para o Interior.

"Por que não atribuir uma taxa de IRC [Imposto Sobre o Rendimento das Pessoas Coletivas] de 0% durante um período de início de implantação das empresas", propôs Carlos Silva, que falava à agência Lusa à margem das comemorações da UGT do 1.º de Maio, em Figueiró dos Vinhos, distrito de Leiria.

Segundo o líder da UGT, a taxa seria depois aumentada gradualmente para outros níveis.

A proposta da redução do IRC teria como contrapartida a criação de empregos e a contratação ser feita sem termo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Francisco ​​​​​​​em Pequim?

1. A perseguição aos cristãos foi particularmente feroz durante a Revolução Cultural no tempo de Mao. Mas a situação está a mudar de modo rápido e surpreendente. Desde 1976, com a morte de Mao, as igrejas começaram a reabrir e há quem pense que a China poderá tornar-se mais rapidamente do que se julgava não só a primeira potência económica mundial mas também o país com maior número de cristãos. "Segundo os meus cálculos, a China está destinada a tornar-se muito rapidamente o maior país cristão do mundo", disse Fenggang Yang, professor na Universidade de Purdue (Indiana, Estados Unidos) e autor do livro Religion in China. Survival and Revival under Communist Rule (Religião na China. Sobrevivência e Renascimento sob o Regime Comunista). Isso "vai acontecer em menos de uma geração. Não há muitas pessoas preparadas para esta mudança assombrosa".