Empresa brasileira de cosméticos integra venezuelanos no mercado de trabalho chileno

Brasília 20 fev (Lusa) - A Natura, uma empresa brasileira de cosméticos, considerada uma das maiores do setor, está a ajudar venezuelanos que emigraram para o Chile a integrarem-se no mercado de trabalho, informou hoje a ONU.

A iniciativa inclui 12 venezuelanos, o que representa o maior grupo de funcionários nascidos noutro país a trabalhar na filial chilena.

María Erminia Mirena, uma venezuelana que trabalha na empresa há três meses, citada pelo portal de notícias das Nações Unidas, agradeceu "aos chilenos que recebem, acolhem e ajudam os venezuelanos a se posicionarem no mercado de trabalho", acrescentando que o principal desafio para estes migrantes é a adaptação "a uma cultura diferente".

De acordo com a ONU, a Organização Internacional para as Migrações (OIM) diz que a Natura procura "promover ambientes de trabalho e culturais flexíveis que permitam a expressão de todos os tipos de diversidade".

A gerente de recursos humanos da Natura no Chile, Maria Sol de Cabo, disse que "é muito importante fazer parceria com uma organização internacional como a OIM".

Segundo Maria Sol de Cabo, para "atender às necessidades da sociedade e promover mudanças, é essencial gerar parcerias e realizar projetos para apoiar a população migrante e dar-lhes as melhores ferramentas".

De acordo com o Ministério do Interior e o Instituto Nacional de Estatísticas do Chile, residem 1,2 milhões de estrangeiros no país, representando 6,6% da população. Pela primeira vez, os venezuelanos são o maior grupo, representando 23% do total de estrangeiros.

A Venezuela atravessa uma grave crise política, económica e social que levou 2,3 milhões de pessoas a fugirem do país desde 2015, segundo dados das Nações Unidas.

Ler mais

Exclusivos