Eleições/RDCongo: Líderes africanos felicitam Presidente eleito Félix Tshisekedi

Vários chefes de Estado africanos felicitaram hoje o Presidente eleito da República Democrática do Congo (RDCongo), Félix Tshisekedi, cuja vitória no escrutínio realizado em finais de dezembro foi ratificada no sábado pelo Tribunal Constitucional daquele país.

As felicitações a Tshisekedi, provenientes de países como Namíbia, África do Sul, Burundi e Tanzânia, começaram hoje a ser formalizadas, dias depois de a União Africana (UA) ter apelado para a suspensão da proclamação dos resultados eleitorais, alegando "sérias dúvidas" sobre a eleição do novo líder da RDCongo, e para o envio de uma delegação a Kinshasa.

"Em nome da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC, na sigla em inglês) e em meu nome próprio, felicitamos o Presidente eleito da RDCongo, Félix Tshisekedi, após as eleições de 30 de dezembro e a deliberação do Tribunal Constitucional de 19 de janeiro", escreveu, num comunicado, o Presidente da Namíbia, Hage G. Geingob.

O governante da Namíbia, a par de outros líderes africanos, tinha subscrito o apelo da UA, divulgado na quinta-feira.

"A SADC reitera a necessidade de respeitar a soberania e a integridade territorial da RDCongo", sublinhou o representante, acrescentando um apelo para que exista "uma transferência pacífica do poder" e para que todas as partes apoiem o Presidente eleito e o respetivo governo "na manutenção da unidade, paz e estabilidade".

Os chefes de Estado do Burundi e da Tanzânia, Pierre Nkurunziza e John Magufuli, respetivamente, utilizaram as redes sociais para felicitar o novo líder e um escrutínio em que a RDCongo, segundo o líder burundês, defendeu a sua "dignidade e soberania".

Também o Presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, emitiu um comunicado a felicitar Tshisekedi e a pedir ao povo congolês democrático para aceitar a decisão do Tribunal Constitucional.

Na mesma nota, o líder sul-africano enfatizou a necessidade de a RDCongo "avançar para consolidar a democracia e para preservar a paz, a estabilidade e a segurança do país".

No sábado, o Tribunal Constitucional proclamou Tshisekedi como Presidente da RDCongo, após rejeitar todos os recursos interpostos contra os resultados provisórios das eleições de 30 de dezembro.

Decisão que o candidato classificado em segundo lugar nas eleições presidenciais, Martin Fayulu, encarou como uma "confirmação" de que aquela alta instância "serve um regime ditatorial".

De acordo com a agência norte-americana Associated Press (AP), ao rejeitar os recursos, o Tribunal Constitucional ratificou a vitória de Félix Tshisekedi, que obteve cerca de 38,57% dos votos contra os 34,86% do candidato Fayulu, segundo os dados provisórios divulgados pelo Comité Eleitoral do país a 10 de janeiro.

Tshisekedi, de 55 anos, será o sucessor de Joseph Kabila, que preside aos destinos do país desde 2001.

O novo Presidente toma posse na terça-feira.

Ler mais

Exclusivos