CORREÇÃO: Lucro do grupo Inditex aumenta 2% para novo recorde de 3.444 ME

(CORRIGE NO 2.º PARÁGRAFO O PERÍODO DO EXERCÍCIO FISCAL)

O lucro do grupo espanhol Inditex aumentou 2%, para 3.444 milhões de euros, no exercício anual terminado em janeiro e as vendas subiram 3% para 26.145 milhões, anunciou hoje o líder mundial da venda de roupa a retalho.

Segundo a informação enviada hoje à CNMV (Comissão Nacional do Mercado de Valores espanhola) pela empresa galega, dona de marcas como a Zara e Massimo Dutti, se excluídos efeitos cambiais, no exercício fiscal de 01 de fevereiro de 2018 até 31 de janeiro de 2019 o lucro teria aumentado 12% e as vendas 7%.

No período, também o EBITDA (resultados antes de impostos, juros, amortizações e depreciações) e o EBIT (resultados operacionais) atingiram novos máximos, com subidas de 3% e 1%, para 5.457 e 4.357 milhões de euros, respetivamente (a câmbio constante a evolução teria sido de 11% e 9%, pela mesma ordem).

A margem bruta foi de 14.816 milhões de euros, mais 4% (8% a câmbio constante) do que no exercício anterior, o que representa 56,7% das vendas (56,3% em 2017).

A Inditex destaca que as vendas 'online' aumentaram 27% e atingiram os 3.200 milhões de euros, representando 14% das vendas nos mercados onde esta funcionalidade está disponível.

As vendas comparáveis (considerando as lojas existentes nos dois últimos exercícios) aumentaram 4% no exercício terminado em janeiro, quando no anterior tinham subido 5%.

O Conselho de Administração do grupo Inditex vai propor à assembleia-geral de acionistas uma nova política de dividendos que prevê uma subida do 'payout' do dividendo ordinário dos atuais 50% para 60% do lucro e a distribuição de um dividendo extraordinário de um euro por ação, a receber ao longo dos anos 2019, 2020 e 2021.

Relativamente ao exercício de 2018, isto traduz-se num aumento de 17% do dividendo face ao exercício anterior, com a distribuição de 0,88 euros por ação, dos quais 0,66 como dividendo ordinário e 0,22 euros como extraordinário.

No comunicado enviado à CNVM, a Inditex destaca que a estratégia do grupo passa por desenvolver "uma rede de lojas e 'online' de tecnologia avançada e plenamente integrada, digital e sustentável em 2020".

Para o efeito investiu um total de 1.620 milhões de euros no exercício de 2018 em inovação tecnológica nas lojas e plataformas logísticas e na seleção e adaptação dos espaços comerciais "em linha com a com a política de integração digital plataforma global, com áreas comerciais maiores e em localizações selecionadas".

Como resultado desta estratégia, a superfície comercial líquida do grupo aumentou 5%, tendo a Inditex terminado o exercício de 2018 com 7.490 lojas em 96 mercados, após abrir novas lojas em 56 mercados.

Em Portugal, o grupo tem um total de 340 lojas, das insígnias Zara (86), Pull&Bear (50), Massimo Dutti (41), Bershka (49), Stradivarius (44), Oysho (36), Zara Home (28) e Uterque (6).

Ler mais

Exclusivos