Concerto na igreja da Misericórdia abre sexta-feira Festival de Órgão de Santarém

O Festival de Órgão de Santarém começa sexta-feira à noite com um concerto na igreja da Misericórdia, que juntará a organista e diretora do FÓS, Margarida Oliveira, e o cantor Bruno Nogueira.

Iniciativa da Câmara Municipal, da Diocese e da Santa Casa da Misericórdia de Santarém, com organização do Conservatório de Música e Artes do Centro, o festival visa divulgar os órgãos históricos da cidade.

O centro histórico de Santarém "tem o maior número de órgãos de tubo ibéricos (construídos há mais de 200 anos) em funcionamento" numa área tão circunscrita, restaurados "depois de mais de 100 anos parados", afirma uma nota da organização.

Alguns têm "uso quase diário com muitos alunos (cerca de 20) que estão a aprender este instrumento musical, mantendo a esperança na valorização de um património musical riquíssimo", acrescenta.

Para os sábados (dias 10 e 17) à tarde estão agendados dois "passeios musicais pelos órgãos históricos de Santarém", com o primeiro a convidar a um percurso, com mini-concertos, pelas igrejas de Marvila, Misericórdia e S. Nicolau, e o segundo pelas de Alcáçova, Catedral e Piedade.

No próximo sábado à noite, na igreja de Marvila, acontecerá o primeiro dos dois concertos com a orquestra Bomtempo, sob direção de Cesário Costa, que, nos dois sábados, permitirá a audição integral dos concertos de Michel Corrette e assinalará os 350 anos do nascimento do compositor François Couperin.

A catedral de Santarém receberá no domingo à tarde um concerto com o organista Tiago Ferreira, acompanhado pelo Coro da Lapa, sob direção de Filipe Veríssimo, sendo que a missa dominical de dia 18 será integralmente cantada pelo Coro dos jovens cantores do Schola Cantorum da Catedral de Santarém e acompanhada ao órgão por David Paccetti Correia, com repertório do século XV ao século XXI, sob a direção de Pedro Rodrigues.

No dia 16 à noite, na igreja de S. Nicolau, será possível ouvir o organista escalabitano (atualmente a frequentar o mestrado em performance em Amesterdão, Holanda) Daniel Nunes, acompanhado por Edgar Barbosa (trompa).

O festival encerra no dia 18 à tarde na igreja de Marvila com um concerto-comentado pelo organista espanhol Jesús Gonzalo López.

O festival envolverá no total mais de uma centena de músicos, entre solistas, organistas, orquestras e coros, adianta a nota.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Banco de Portugal está preso a uma história que tem de reconhecer para mudar

Tem custado ao Banco de Portugal adaptar-se ao quadro institucional decorrente da criação do euro. A melhor prova disso é a fraca capacidade de intervir no ordenamento do sistema bancário nacional. As necessárias decisões acontecem quase sempre tarde, de forma pouco consistente e com escasso escrutínio público. Como se pode alterar esta situação, dentro dos limites impostos pelas regras da zona euro, em que os bancos centrais nacionais respondem sobretudo ao BCE? A resposta é difícil, mas ajuda compreender e reconhecer melhor o problema.