COMENTÁRIO: Reação do Boavista na segunda parte 'rende' empate em Chaves

O Boavista, com uma segunda parte forte, empatou hoje 1-1 no terreno do Desportivo de Chaves, recuperando de uma desvantagem para somar o terceiro jogo consecutivo a pontuar, na 22.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

O emblema de Trás-os-Montes, que voltou também a pontuar na prova, mantém-se em lugares de descida, na 17.ª posição, depois de um jogo em que dominou e marcou na primeira parte, por Bruno Gallo, aos 42 minutos, de grande penalidade.

Os 'axadrezados' reagiram na etapa complementar, colecionando situações de golo, e arrancaram o empate por Fábio Espinho, aos 60 minutos, lançado após o intervalo, passando a somar 23 pontos, no 11.º lugar, juntamente com Nacional, Marítimo e Tondela.

Após a derrota no terreno do Sporting de Braga, que interrompeu um ciclo de duas vitórias consecutivas, o técnico Tiago Fernandes promoveu três mexidas no onze inicial, com os regressos dos atacantes Costinha e Luther Singh, e do lateral direito Paulinho. De fora, por castigo, ficou Jefferson, saindo ainda do 'onze' Niltinho e Lionn.

Em sentido contrário, o Boavista visitou Chaves após dois triunfos consecutivos, com o treinador Lito Vidigal a promover duas mexidas, lançando Bracali na baliza para o lugar do lesionado Helton, e o extremo Perdigão, contratado aos 'flavienses' no mercado de inverno, para o lugar do castigado Mateus.

Perante as dificuldades no último passe por parte dos 'flavienses', foram os 'boavisteiros' a ficarem perto de abrir o marcador, mas nem Bueno, aos oito minutos, nem Idris, aos 10, conseguiram fazer o golo, após cortes providenciais de Campi e Paulinho, respetivamente. Também perto de marcar, já aos 20 minutos, esteve Raphael, mas António Filipe, numa saída aos pés do defesa, evitou o golo.

Já com maior acerto, aos 42 minutos, foi Bruno Gallo a encontrar Paulinho na direita, com o defesa a invadir a área e a ser derrubado por Neris. O médio que iniciou a jogada foi mesmo chamado à conversão e não perdoou, fazendo o primeiro golo da partida.

Face à desvantagem, o técnico Lito Vidigal, que por castigo não esteve no banco de suplentes, fez duas alterações no arranque da segunda parte, lançando Carraça e Fábio Espinho para os lugares de Idris e Perdigão, sem alterar o esquema tático, mas jogando com as linhas mais subidas.

Os visitantes reentraram mesmo melhor e tiveram a melhor situação para empatar o encontro aos 52 minutos, quando Matheus Índio 'inventou' uma jogada pela esquerda e serviu Edu Machado na área, que, sozinho, atirou por cima da barra. Na outra baliza, aos 55, Singh não conseguiu bater Bracali após assistência de Gallo, numa clara oportunidade para o 2-0.

Mais certeiro esteve Fábio Espinho, que, aos 60 minutos, apareceu solto na área após cruzamento de Carraça e não teve dificuldades em bater António Filipe e fazer o seu primeiro golo no campeonato, esta temporada.

Com os 'portuenses' mais perigosos, pois António Filipe negou o golo a Neris e Edu Machado, aos 68 e 70 minutos, o técnico Tiago Fernandes procurou voltar a ganhar o controlo do encontro, lançando o médio Ghazaryan, depois de já ter refrescado o ataque com a entrada de André Luís, e mais tarde voltou a refrescar o ataque com Niltinho.

Já com o jogo novamente equilibrado, os transmontanos, que acabaram por 'cima' do encontro, ainda reclamaram nova grande penalidade, após lance entre Niltinho e Talocha, mas o árbitro Manuel Oliveira, após consultar o videoárbitro, assinalou simulação, no último lance que podia ter desfeito a igualdade.

Exclusivos