Coimbra investe 2,6 ME na reabilitação energética de 166 habitações no Ingote

A Câmara de Coimbra aprovou hoje, por unanimidade, a abertura do concurso público da empreitada para a reabilitação energética de 166 casas do Bairro do Ingote, um investimento de 2,6 milhões de euros.

A intervenção, visando "beneficiar o desempenho energético" de 166 frações, distribuídas por 14 imóveis (lotes 8, 9, 10, 12, 13, 15, 17, 19, 20, 21, 22, 23, 24 e 25) daquele bairro municipal, implica um investimento previsto de dois milhões e 627 mil euros, especifica a proposta da Câmara, hoje aprovada pelo executivo municipal, formado por cinco socialistas, três sociais-democratas (eleitos no âmbito da coligação PSD/CDS/PPM/MPT), dois vereadores do movimento Somos Coimbra (SC) e um da CDU.

Os trabalhos vão ser efetuados ao abrigo de uma candidatura do município ao programa Prioridade de Reabilitação nos Bairros Sociais (Eficiência Energética), cofinanciado pelo Programa Operacional Regional Centro 2020, no âmbito do quadro comunitário de apoio Portugal 2020.

A Câmara Municipal de Coimbra pretende "otimizar a eficiência energética, diminuir o consumo de energia, reduzir a emissão de gases com efeito de estufa e aumentar o conforto térmico dos imóveis do bairro do Ingote, à semelhança do que vai fazer nos bairros da Rosa e da Conchada, cujos concursos já foram lançados.

Para isso, está projetada a aplicação de isolamento térmico no exterior e na cobertura dos edifícios, a aplicação de caixilharias com cortes térmico e vidros duplos, a introdução de sistemas de produção de águas quentes sanitárias e a melhoria da iluminação nas zonas comuns.

Em 11 de março, o executivo municipal aprovou, também por unanimidade, a abertura do concurso público para a otimização da eficiência energética de 222 habitações situadas no Bairro da Rosa, empreitada que implica um investimento da ordem dos 3,6 milhões de euros.

Pouco tempo antes, a autarquia tinha reaberto o concurso para a execução de trabalhos em 28 frações do Bairro da Conchada, envolvendo a aplicação de cerca de 500 mil euros.

A reabertura do procedimento relativo ao Bairro da Conchada ficou a dever-se ao facto de o concurso público lançado em final de 2018 ter ficado "deserto", explicou, então, o presidente da Câmara, Manuel Machado (PS). O novo concurso aumentou a base de licitação do empreendimento em cerca de 30%.

Conjugadas as três empreitadas, serão objeto de reabilitação energética 416 habitações municipais (distribuídas pelos bairros da Conchada, da Rosa e do Ingote), envolvendo um investimento global de cerca de 6,7 milhões de euros.

O parque habitacional do município de Coimbra é constituído por cerca de oito centenas de habitações, essencialmente distribuídas por oito bairros da cidade.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.