Ciclo de Concertos com nove espetáculos em Coimbra entre outubro e dezembro

O III Ciclo de Concertos de Música de Coimbra começa no dia 08 de outubro com a participação do ator António Capelo, que canta e declama poesia numa sessão para assinalar os 40 anos de carreira.

O concerto de abertura, em que António Capelo, fundador e diretor da Academia Contemporânea do Espectáculo (ACE) Teatro do Bolhão, no Porto, intervém como protagonista, acompanhado de outros artistas, realiza-se no Conservatório de Música de Coimbra, às 18:00.

Subordinado ao tema "Memórias Pioneiras", o Ciclo de Concertos de Música "decorrerá em diferentes espaços da cidade", encerrando no dia 08 de dezembro, disse hoje à agência Lusa o diretor do festival, Tiago Nunes.

"A terceira edição vai contar com grupos e artistas de renome nacional e internacional, premiados em vários lugares do mundo", acrescentou o jovem pianista.

O ciclo celebra, no dia 01 de dezembro, o feriado dedicado à restauração da independência de Portugal, na igreja do Convento São Francisco, com um concerto pelo coro Alma de Coimbra, que integra antigos estudantes da Universidade de Coimbra.

O reportório do grupo dirigido pelo maestro Augusto Mesquita "será uma viagem por poetas, autores e intérpretes portugueses ou de língua portuguesa", afirmou Tiago Nunes.

O concerto de encerramento, no dia 08 de dezembro, às 18:00, assinala o feriado da Imaculada Conceição, no grande auditório do Convento São Francisco.

Nesta sessão, atua o Coro Sinfónico Inês de Castro, dirigido pelo maestro Artur Pinho Maria, que interpretará "A Criação", a obra "mais emblemática" do compositor austríaco Joseph Haydn.

"Esta obra é considerada a mais importante oratória de todo o Classicismo. O momento da transição entre a representação do caos e criação da luz é um dos exemplos de retórica mais extraordinários de toda a história da música", referiu.

Franz Joseph Haydn (1732-1809) foi um dos mais importantes compositores do período clássico vienense.

No mesmo dia, além do espetáculo de encerramento, realiza-se na Sé Nova, às 21:30, um concerto de órgão por Paulo Bernardino, que está a celebrar 30 anos de atividade, 25 dos quais como organista da Sé Catedral de Coimbra e uma década com idêntica responsabilidade na capela da Universidade local.

Paulo Bernardino doará os donativos do espetáculo à Cáritas Diocesana de Coimbra.

"O Ciclo Concertos é já uma referência na vida cultural de Coimbra. Queremos ser uma montra daquilo que melhor existe a nível cultural, dando oportunidade também a vários jovens artistas de se mostrarem à cidade e à região", declarou Tiago Nunes.

Em agosto, a organização lançou uma campanha de financiamento do ciclo através do sistema 'crowdfunding'.

"Pretendemos com esta campanha financiar parte das despesas logísticas e remuneratórias. Queremos providenciar aos cidadãos o acesso a concertos de elevada qualidade, com preços acessíveis a todos", adiantou.

Ao longo de dois meses, o ciclo passará por espaços como a Sé Velha, a Sé Nova, o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, o Conservatório de Música, a Casa-Museu da Fundação Bissaya Barreto, o Museu Nacional de Machado de Castro e a igreja e o auditório principal do Convento São Francisco.

Ler mais

Exclusivos

atentados terroristas

Premium  "Estado Islâmico está a fazer captação de jihadistas que falem espanhol e português"

Um ano após os atentados terroristas na Catalunha, em Barcelona e em Cambrils, o codiretor do think tank Observatorio Internacional de Seguridad, Chema Gil, diz que é uma ilusão acreditar que o terrorismo jihadista está a ser vencido só porque as suas estruturas foram destruídas em países como o Iraque e a Síria.

João Almeida Moreira

Premium Segundos, Enéas e minutos

"O senhor vê na televisão o programa político eleitoral do presidente, tudo colorido, todos contentes, artistas milionários, se é essa a sua realidade, então vote neles, PT, PMDB, PSDB, PRTB, qualquer P, sempre estiveram juntos, é falsa a briga deles, agora se o senhor não aguenta mais ver menor abandonado na rua, as drogas, os crimes, tudo o que não presta aumentando, se você quiser expulsar para sempre esses patifes do poder, só existe uma opção, 56, o senhor nunca me viu junto com nenhum deles e comigo o senhor vai ficar livre de todos eles, o meu nome é Enéas 56."