China considera irracionais críticas dos EUA à sua presença na América Latina

A China classificou hoje como irracionais as críticas de Washington à presença chinesa na América Latina, depois de o conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, John Bolton, ter acusado Pequim de práticas "predatórias" na região.

"Nós não temos nenhuma intenção de iniciar uma competição geopolítica na América Latina. As acusações feitas pelos EUA sobre a cooperação entre a China e os países da região são totalmente infundadas e irracionais", disse a porta-voz do ministério chinês dos Negócios Estrangeiros, Hua Chunying.

Numa mensagem difundida na quinta-feira no Twitter, Bolton revelou que falou com o presidente eleito de El Salvador, Najib Bukele, "para restaurar a democracia na Venezuela e combater as práticas predatórias da China no hemisfério".

Nesse sentido, Hua defendeu que as relações entre a China e El Salvador se baseiam no "respeito mútuo" e na "não-interferência nos assuntos internos" dos países.

"Acreditamos que as relações entre a China e El Salvador não devem afetar relações normais entre estes países e outros Estados. Esperamos que as partes interessadas possam compreender estas relações de uma forma aberta, inclusiva e racional", afirmou Hua.

Exclusivos