China anuncia ida a Washington para discutir guerra comercial com os EUA

O vice-primeiro-ministro chinês, principal negociador de Pequim nas disputas comerciais com os Estados Unidos, vai estar em Washington nos dias 30 e 31 deste mês para discussões bilaterais, anunciou hoje o Ministério do Comércio chinês.

Liu He vai reunir-se com autoridades norte-americanas para tentar conter a fricção comercial e "implementar o consenso" alcançado pelos Presidentes Xi Jinping e Donald Trump, no passado dia 01 de dezembro, disse o porta-voz do ministério, Gao Feng, aos repórteres.

Os dois países selaram uma trégua de 90 dias, entre 01 de dezembro e 01 de março, que suspende as taxas alfandegárias dos Estados Unidos sobre os produtos chineses e as sobretaxas impostas pela China a viaturas e peças automobilísticas fabricadas nos Estados Unidos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.