China admite apoiar construção de porto e alargamento de aeroporto em São Tomé

O ministro chinês dos Negócios Estrangeiros, Wang Yi, afirmou hoje que Pequim está a estudar os projetos de alargamento do aeroporto de São Tomé e a construção de um porto de águas profundas para avaliar se investe nessas obras.

"A extensão da pista e requalificação do aeroporto internacional de São Tomé está em fase ainda de estudo de viabilidade e mantemos uma discussão bem profunda sobre este projeto", disse o ministro, que está de visita a São Tomé e Príncipe.

O governo são-tomense do primeiro-ministro Patrice Trovoada considera estes dois projetos estruturantes como "os mais importantes para alavancar a economia do país".

Numa conferência de imprensa conjunta, o ministro chinês prometeu apoios a obras de drenagem e de reabilitação rodoviária e explicou que as delegações dos dois países "chegaram a consensos para desenvolver a cooperação no domínio das pescas e processamento dos produtos do mar".

"Vamos promover ordenadamente a nossa cooperação na área da agricultura, turismo e serviço porque são setores que São Tomé e Príncipe possui as suas vantagens comparativas", adiantou o ministro, que elogiou o regresso do país africano ao círculo diplomático de Pequim, depois de ter sido, durante anos, um dos poucos países que reconheciam Taiwan.

Só depois de deixar de reconhecer Taiwan como estado independente é que São Tomé voltou a ter relações diplomáticas com Pequim.

O ministro dos Negócios Estrangeiros de São Tomé e Príncipe, Urbino Botelho, salientou que a visita do governante chinês tem "um duplo significado" porque "testemunha a excelência das relações bilaterais entre os dois países" e "permite dar continuidade a uma cooperação que é profícua para ambas as partes".

"Reputamos de grande importância esta visita, aproveitamos para perspetivar o futuro que desde já considero de um futuro muito promissor", concluiu Urbino Botelho.

Ler mais

Exclusivos