Chefe das Forças Armadas argelinas apela a soluções rápidas

O chefe de estado-maior das Forças Armadas argelinas apelou hoje à "responsabilidade" de cada um para garantir "soluções no mais breve prazo" à crise política na Argélia, onde o poder se tem confrontado com massivas manifestações de protesto.

"Qualquer pessoa inteligente e sensata, dotada de patriotismo e clarividência, está consciente que cada problema tem uma solução, ou várias, qualquer que seja a sua complexidade", declarou o general Ahmed Gaïd Salah durante uma visita de inspeção ao sudoeste do país.

"Cada um deve revelar a sua responsabilidade para encontrar soluções o mais rapidamente possível", acrescentou, prometendo que o exército argelino permanecerá, em qualquer circunstância, "a fortaleza do povo e da nação".

O general Gaïd Salah, próximo do chefe de Estado e membro do primeiro círculo do poder argelino, saudou o "patriotismo" e o "inigualável civismo" dos argelinos, que se manifestam pacificamente desde 22 de fevereiro para exigir o afastamento do Presidente Abdelaziz Bouteflika e do "sistema" no poder.

Gaïd Salah disse ainda estar "convencido que o povo argelino, que sempre colocou os interesses da nação acima de qualquer consideração, dispõe das aptidões necessárias para evitar no seu país qualquer conjuntura que possa ser explorada por setores estrangeiros hostis".

O militar manifestou em simultâneo otimismo pela capacidade de a Argélia ultrapassar "todos os desafios" para um "futuro melhor" no qual as Forças Armadas argelinas "se orgulham de ser um dos artesãos".

Reafirmou por fim a "estreita ligação" entre o exército e o povo, aludindo à "simpatia deste último pelas Forças Armadas", na sua perspetiva o pilar do futuro do país.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.