César desabafa que PS teve de trabalhar "às vezes muito penosamente" com PCP e BE

O líder parlamentar do PS admitiu hoje que, desde 2015, os socialistas tiveram de "trabalhar o dobro" e "muito penosamente" com aqueles que "dizem apoiar" o Governo, mas disse estar "muito orgulhoso" com os resultados.

O desabafo de Carlos César foi feito num discurso num jantar com militantes, em Alpalhão, Nisa, na abertura das jornadas de proximidade em Portalegre, e a pouco meses do fim da legislatura.

O balanço da legislatura, em que o Governo minoritário do PS teve o apoio da esquerda parlamentar, foi feito por César com palavras duras, tanto para a direita, PSD e CDS, como com críticas indiretas aos parceiros da esquerda, PCP, BE e PEV, que nunca mencionou abertamente.

"Foi uma legislatura trabalhosa por que contamos com a negação da oposição e a negação da posição. Perceberam...", afirmou o líder parlamentar e presidente do PS no seu discurso.

Depois, explicou os motivos de tanto trabalho nos últimos quase quatro anos.

"Tivemos o dobro do trabalho, porque tivemos que trabalhar, como é nossa obrigação, com aqueles que se nos opõem e tivemos que trabalhar, às vezes muito penosamente, com aqueles que nos dizem apoiar", acrescentou, para logo fazer subir o tom de voz e dizer que os socialistas estão "muito orgulhosos" do trabalho do Governo.

Exclusivos

Premium

Betinho

Betinho: "NBA? Havia campos que tinham baldes para os jogadores vomitarem"

Nasceu em Cabo Verde (a 2 de maio de 1985), país que deixou aos 16 anos para jogar basquetebol no Barreirense. O talento levou-o até bem perto da NBA, mas foi em Espanha, Andorra e Itália que fez carreira antes de regressar ao Benfica para "festejar no fim". Internacional português desde os Sub-20, disse adeus à seleção há apenas uns meses, para se concentrar na carreira. Tem 34 anos e quer jogar mais três ou quatro ao mais alto nível.