CDS saúda escolha de uma mulher, Ursula von der Leyen, para presidir à Comissão

Lisboa, 02 jul 2019 (Lusa) -- O CDS-PP saudou hoje a escolha da primeira mulher para presidir à Comissão Europeia, a alemã Ursula von der Leyen, da CDU, que pertence do Partido Popular Europeu (PPE).

"A nomeação da ministra da CDU alemã, partido do PPE, não só respeita os resultados eleitorais das eleições europeias, em que o PPE foi o partido com maior número de lugares, como permite a que, pela primeira vez na sua história, seja uma mulher a exercer o cargo de presidente da comissão, lê-se numa nota à imprensa do CDS.

O CDS que, tal como o PSD em Portugal, pertence PPE, assinalou que "esta solução permitiu ainda desbloquear um processo complicado no Conselho Europeu, atingindo assim um resultado que integra os maiores grupos políticos da União Europeia".

Outro dos pontos realçados pelos centristas é o facto de Ursula von der Leyen ser "casada, com sete filhos" e de ter sido "ministra da Família e Juventude, do Trabalho e Solidariedade, antes de tomar posse, em 2013, como ministra da Defesa" no Governo liderado por Angela Merkel.

Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia chegaram hoje a acordo sobre as nomeações para os cargos institucionais de topo, designando a alemã Ursula von der Leyen para a presidência da Comissão Europeia, anunciou Donald Tusk.

Anunciado pelo presidente do Conselho Europeu, o compromisso alcançado ao fim de uma 'maratona' negocial, que se prolongou em Bruxelas ao longo de três dias, desde as 18:00 de domingo (menos uma hora em Lisboa), contempla ainda a nomeação do primeiro-ministro belga em funções, o liberal Charles Michel, para a presidência do Conselho Europeu, do ministro espanhol dos Negócios Estrangeiros, o socialista Josep Borrell, como Alto Representante da UE para a Política Externa e ainda da francesa Christine Lagarde para o Banco Central Europeu.

Com a designação de Ursula von der Leyen, ministra alemã da Defesa e muito próxima da chanceler Angela Merkel, o PPE, que presidiu à Comissão ao longo dos últimos 15 anos e que venceu as eleições europeias de maio, retém assim o mais desejado dos cargos em negociação, que pela primeira vez será ocupado por uma mulher.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.