Casa de Saúde Santo António declarada insolvente pelo Tribunal de Aveiro

A Casa de Saúde de Santo António, em Albergaria-a-Velha, foi declarada insolvente, depois do segundo Processo Especial de Revitalização (PER) a que se submeteu ter sido rejeitado pelo Montepio Geral, principal credor da instituição, disse hoje a administração.

De acordo com o anúncio publicado no portal Citius, a sentença de insolvência foi proferida no dia 17 de janeiro, pelo Juízo de Comércio de Aveiro.

Os credores têm agora 30 dias para reclamar os seus créditos ao administrador da insolvência, tendo sido marcada a primeira assembleia para 14 de março.

A Casa de Saúde de Santo António tem cerca de seis milhões de euros de dívidas acumuladas, dos quais cinco milhões ao Montepio Geral, que pretende tomar posse do imóvel.

A declaração de insolvência surgiu poucas semanas após ter terminado o contrato para o funcionamento de uma unidade de cuidados continuados integrados com 50 camas nesta instituição.

Esta decisão levou a que os 11 utentes que se encontravam internados nesta unidade de saúde privada tenham sido transferidos para outras unidades da região.

José Chambino, da administração da Casa de Saúde de Santo António, disse que atualmente a unidade de saúde continua a funcionar, mas não tem utentes.

O mesmo responsável adiantou ainda que continua a haver conversações com a Administração Regional de Saúde do Centro, no sentido de ser renovado o contrato-programa que permita que a instituição continue a fazer parte da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados.

"As camas são precisas aqui na região. Aqui na zona há mais de 200 pessoas a aguardar vagas", disse José Chambino.

Em 2016, esta unidade de saúde privada esteve cerca de meio ano com a atividade suspensa face à avaliação do risco pela autoridade de saúde, que detetou "um conjunto de inconformidades graves nas mais diversas áreas".

A instituição com cerca de 50 funcionários está a passar por dificuldades financeiras, o que levou a recorrer a um segundo Processo Especial de Revitalização.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.