Cardeal patriarca com "grande expectativa" para reunião sobre abusos sexuais na igreja

O Presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, Manuel Clemente, disse hoje ter uma "grande expectativa" no Encontro sobre Proteção de Menores na Igreja, que começa quinta-feira no Vaticano, com 190 participantes e presidido pelo papa.

Em declarações à agência Ecclesia, Manuel Clemente, também cardeal-patriarca de Lisboa, adiantou que "falou longamente" com uma vítima de abuso sexual e que terá disponibilidade permanente para acompanhar este e outros casos.

"A nossa disponibilidade foi ativa (...) e, por isso, apareceu um acaso de uma pessoa que quis falar comigo. E falou (...). Falou longamente comigo, eu ouvi e com certeza que estive com essa pessoa no seguimento do caso", afirmou Manuel Clemente à Ecclesia.

A reunião no Vaticano, que decorre até domingo e é uma iniciativa do papa Francisco, reúne, de uma forma inédita, os presidentes das conferências episcopais de todo o mundo para debater a problemática dos abusos sexuais e a pedofilia no seio da igreja católica.

"Se fomos parte do problema, agora temos de ser parte da solução", afirmou o cardeal-patriarca de Lisboa.

"Em muito boa hora o papa Francisco quis alargar à igreja mundial, de uma maneira mais intensa com esta convocação, a sua preocupação e o seu empenho em ultrapassar e resolver um problema que é grave e que precisa de ser resolvido", declarou o cardeal-patriarca de Lisboa e presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP).

Manuel Clemente expressou disponibilidade para fazer "mais e melhor" para evitar situações de abusos sexuais na igreja e para que exista "uma verdadeira conversão aos valores evangélicos, na intenção e na prática".

O cardeal patriarca disse que, "desde o princípio", os bispos de Portugal afirmaram uma "disponibilidade grande para escutar quem quisesse conversar ou estivesse disponível para isso".

"Claro está que não forçamos ninguém a conversar daquilo que não quiser conversar, mas a disponibilidade era e mantém-se ativa", acrescentou o presidente da CEP.

Manuel Clemente disse que o Encontro sobre Proteção de Menores na Igreja é "uma ocasião de reflexão, de escuta, de partilha, para se encontrar, como o papa disse, as melhores indicações para resolver, ainda mais e melhor e sobretudo prevenir, casos destes".

"É essa a intenção do papa, é essa a intenção de todos nós para encontrarmos a melhor maneira de ultrapassar um problema, que é um problema grave e que precisa de ser ultrapassado", afirmou o presidente da CEP.

Ouvir as vítimas, aumentar a consciência, aumentar o conhecimento, desenvolver novos procedimentos, e partilhar boas práticas são alguns dos objetivos do encontro.

A reunião focará três temas principais: responsabilidade, assunção de responsabilidades e transparência.

O papa Francisco, que participa em todas as sessões de trabalho e de oração, vai concluir o evento com um discurso pronunciado após a missa da manhã de domingo, na sala régia do Palácio Apostólico, com transmissão online, à imagem do que acontece com os principais momentos do encontro.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Operação Marquês

Granadeiro chama 5.º mais rico do mundo para o defender

O quinto homem mais rico do mundo, o mexicano Carlos Slim Helú, é uma das 15 testemunhas que Henrique Granadeiro nomeou para serem ouvidas na fase de instrução do processo Marquês. Começa hoje a defesa do antigo líder da Portugal Telecom, que é acusado de ter recebido 24 milhões de euros do GES para beneficiar o grupo em vários negócios.