Câmara de Leiria critica ausência de investimento público no concelho

Leiria, 22 mai 2019 (Lusa) -- O presidente da Câmara de Leiria, Raul Castro (PS), criticou hoje o facto de este concelho ser "cronicamente" prejudicado "sempre que se fala de investimento público por parte da administração central".

"Não dependemos apenas de nós para levarmos a bom porto esta empreitada de elevar Leiria ao lugar que merece. Refiro-me à posição periférica a que Leiria tem sido cronicamente remetida sempre que se fala de investimento público por parte da administração central", lamentou Raul Castro, durante o Dia do Município.

Para o autarca, Leiria está "demasiado longe de Lisboa para receber os avultados investimentos destinados ao desenvolvimento daquela área metropolitana e demasiado próximo para ser considerada nas estratégias de investimento solidário destinadas às zonas do interior".

"Somos, em diversas áreas do investimento público, uma região do interior à beira mar plantada", insistiu, considerando que no que diz respeito ao serviço ferroviário, a aeroportos e ao ensino universitário, Leiria está "numa região periférica".

"Mas no que diz respeito ao pagamento de impostos e contribuição para o equilíbrio das contas públicas, estamos no coração do Estado", insistiu.

O presidente da Câmara destacou que é "graças ao trabalho de formiga dos agentes económicos, dos emigrantes e de quem aqui vive e trabalha, que Leiria supera todos os obstáculos e afirma-se cada vez mais como uma marca que vai muito além das fronteiras do território".

"Leiria vale muito mais do que aquilo que é, porque a gente que aqui vive é feita de ambição, determinação e coragem. Podemos ainda não ter realizado todos os nossos sonhos, mas estamos num concelho que nos dá liberdade para corrermos atrás deles", acrescentou.

Raul Castro lembrou ainda que o dia de aniversário do Município fica marcado pela inauguração do Jardim da Almuinha, um projeto há 25 anos esperado.

"Hoje é também o dia em que saldamos uma dívida antiga do Município para com a população do concelho. Com a construção do Jardim da Almuinha Grande, oferecemos à cidade um espaço de lazer e de convívio intergeracional".

O espaço será "um palco de desporto e cultura".

"Esta data fica também marcada pela evocação da memória do Polícia Sinaleiro, com o descerrar de uma escultura que materializa na perfeição o espírito desta festa da cidadania. É uma homenagem ao Polícia Sinaleiro, mas também a todos os leirienses anónimos que marcaram o ritmo e a vida de Leiria e engrandecem o nosso concelho", destacou ainda.

Durante a cerimónia, o concelho entregou 18 medalhas. "Em meu nome e dos leirienses, endereço uma palavra muito especial aos familiares de Rita Jacinta Monteiro Pereira, António José Santa-Rita, Ernesto Luís Henriques e João Vasconcelos [ex-secretário de Estado], que hoje homenageamos a título póstumo".

"A sua memória constitui um estímulo para continuarmos diariamente a dar o melhor de nós por Leiria, a exemplo do que fizeram com tanto brilho", rematou.

Além destes quatro homenageados, foram distinguidos também Ricardo Charters d'Azevedo (defensor da identidade patrimonial de Leiria), Saul António Gomes (historiador), Débora Umbelino (Surma) (cantora), Fernando Gomes (presidente da Federação Portuguesa de Futebol), Augusto Gonçalves (padre), Pedro Portela (andebolista), Ricardo Porém (TT), Sara de Brito (trail), Jorge Santos (empresário), Juventude Desportiva do Lis, LaRedoute, NOVARES, Agrupamento de Escolas D. Dinis e INATEL.

Ler mais

Exclusivos