Brexit: Deputado trabalhista abandona partido por "cultura de antissemitismo"

O deputado trabalhista britânico Ian Austin anunciou hoje que abandona o Labour, com críticas a uma "cultura de extremismo, antissemitismo e intolerância", tornando-se o nono deputado a sair do Labour esta semana.

Austin, que é a favor do 'Brexit', afirmou no entanto que não planeia juntar-se ao Grupo Independente formado na Câmara dos Comuns por outros nove deputados dissidentes do Partido Trabalhista e por três dissidentes do Partido Conservador.

Numa entrevista ao jornal local Express and Star, o deputado eleito por Dudley North (centro de Inglaterra) afirma-se "chocado" com a "cultura de extremismo, antissemitismo e intolerância" que se instalou no principal partido da oposição sob a liderança de Jeremy Corbyn.

"A esquerda dura domina atualmente o partido, estão a afastar dezenas de deputados moderados que venceram eleições e mudaram o país para melhor", assegurou Austin, 53 anos.

Esta nova renúncia resulta de persistentes tensões internas no Labour desde a eleição de Corbyn, em 2015, com o apoio das bases mas com a oposição da maioria do grupo parlamentar na Câmara dos Comuns.

Os deputados trabalhistas dissidentes criticam a posição do líder sobre o 'Brexit', que consideram ambígua, e a transigência com o antissemitismo.

A direção do Labour exige aos deputados dissidentes que renunciem aos mandatos, para os quais foram eleitos com o programa político de Corbyn, e se apresentem a eleições parciais.

Ler mais

Exclusivos