Brasil/Eleições: Bolsa de valores de São Paulo reagiu positivamente a Moro na pasta da Justiça

A bolsa de valores de São Paulo avançou hoje 1,14%, tendo o principal índice de ações atingido um recorde histórico encerrando em 88.419 pontos, animada pelo anúncio do juiz Sérgio Moro como ministro da Justiça.

Depois de uma reunião realizada hoje na casa do recém-eleito Presidente do Brasil Jair Bolsonaro, no Rio de Janeiro, o magistrado responsável pela primeira instância da Operação Lava Jato, anunciou que aceitou o convite do novo Governo e será o próximo ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil.

Os investidores reagiram positivamente ao anúncio e a bolsa de valores de São Paulo fechou no seu nível mais alto da história.

Como é habitual na bolsa de valores de São Paulo, as ações preferenciais da Petrobras foram as mais negociadas na sessão, seguidas pelas ações preferenciais do banco Bradesco.

Enquanto que a empresa petrolífera fechou em queda de 1,09%, as ações do Bradesco, o segundo maior banco privado brasileiro, valorizaram nuns expressivos 5,71%.

Sérgio Moro ficou amplamente conhecido no Brasil por julgar os casos da operação Lava Jato, uma investigação policial que desvendou dezenas de esquemas de corrupção na petrolífera estatal Petrobras e em outros órgãos públicos do país.

O próximo ministro da Justiça brasileiro é responsável por sentenças de condenação de grandes empresários, ex-funcionários da Petrobras.

Foi também responsável pela condenação, em primeira instância, do antigo Presidente Luís Inácio Lula da Silva num caso relacionado com a titularidade de um apartamento de luxo na costa do Estado de São Paulo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.