Bolsa brasileira bate recorde atrás de recorde após tomada de posse de novo Presidente

O mercado brasileiro prolongou na quarta-feira a euforia desencadeada pela chegada de Jair Bolsonaro à presidência, tendo a bolsa de valores de São Paulo rompido a barreira dos 93 mil pontos e alcançado o seu quinto recorde de 2019.

O índice Ibovespa, principal referência de ações do país sul-americano, avançou hoje 1,72% para 93,613 pontos, enquanto que o dólar caiu 0,72%, tendo sido negociado a 3.688 reais para compra e 3.689 reais para venda na taxa de câmbio comercial, o seu menor nível desde outubro do ano passado.

Desde o início do ano, esta é já a quinta vez que a bolsa brasileira atinge o seu máximo histórico, coincidindo com os primeiros dias de Bolsonaro na presidência do Brasil, o capitão da reserva que tomou posse no passado dia 01 de janeiro.

No entanto, os bons resultados intensificaram-se na quarta-feira, depois de o Governo ter dado sinais de que vai avançar com a reforma do sistema de pensão e aposentação, a base da agenda económica do novo ministro da Economia, Paulo Guedes.

Guedes, um liberal ortodoxo da Escola de Chicago (Estados Unidos da América), chegou a acordo com o ministro da Presidência, Onyx Lorenzoni, e irão incluir a criação de um regime de capitalização individual no projeto a ser enviado ao Congresso em fevereiro.

No projeto da reforma de aposentação prevê-se também que seja estabelecida uma idade mínima para obter esse benefício, para reduzir os custos das aposentações no presente e pressionar o profundo défice fiscal.

De acordo com analistas, o cenário externo, nomeadamente as negociações comerciais entre os Estados Unidos da América (EUA) e a China, também influenciou o resultado positivo da bolsa de São Paulo.

"O cenário externo melhorou muito e as coisas estão mais claras para os investidores, o que não acontecia desde novembro", explicou à agência Efe o economista Victor Candido.

"Os EUA mostraram sinais de melhoria e os investidores estão animados", acrescentou ainda.

Bolsonaro usou a rede social Twitter para se congratular com os resultados históricos que a bolsa brasileira atingiu na quarta-feira: "A bolsa de valores atingiu mais um máximo histórico. O cenário mundial juntou-se ao otimismo no Brasil com o novo Governo. Com saúde fiscal e liberdade económica, vamos resgatar a confiança no nosso país", escreveu.

Na primeira semana à frente do Governo, a equipa económica de Bolsonaro já anunciou que pretende privatizar ou encerrar cerca de 100 empresas públicas, acabar com as "distorções" do setor bancário público que "desvirtuaram" o mercado de crédito no país e vender edifícios para conter os elevados custos públicos.

Ler mais

Exclusivos