Banco central dos EUA inicia reunião que deve deixar taxas de juro inalteradas

Washington, 30 abr 2019 (Lusa) - O banco central norte-americano inicia hoje uma reunião de dois dias e deve manter as taxas de juro nos níveis atuais, numa altura em que a Casa Branca pressiona para reclamar juros mais baixos.

Numa alteração da sua política monetária em março, a Reserva Federal (Fed) suspendeu a subida gradual das taxas de juro e a redução da sua carteira de ativos, devido à incerteza sobre a evolução da economia norte-americana, com a inflação mais fraca.

As taxas de juro de referência, que influenciam todos os outros tipos de crédito, estão atualmente entre 2,25% e 2,5% e a Fed não prevê aumentá-las este ano.

Mas a pausa nas subidas não parece suficiente para a Casa Branca, que tem vindo a reclamar uma política monetária mais acomodatícia.

"Pessoalmente, creio que a Fed devia baixar as taxas de juro", afirmou no início de abril o presidente norte-americano, Donald Trump, sublinhando que a "inflação está baixa".

Um novo elemento de incerteza surgiu na passada sexta-feira, quando foi anunciado que a economia dos Estados Unidos cresceu a um ritmo anual de 3,2% no primeiro trimestre, valor que superou as estimativas dos analistas, que antecipavam um crescimento de 2,3%.

As previsões do banco central apontam para um crescimento de 2,1% em 2019, abaixo do registado em 2018.

Vários economistas consideram, no entanto, que o nível de crescimento verificado no início do ano se deve essencialmente a uma acumulação de 'stocks', situação que não se repetirá.

Jerome Powell, presidente da Fed, dará uma conferência de imprensa na quarta-feira às 19:30 (hora de Lisboa), após a publicação de um comunicado com as principais decisões do banco central.

Exclusivos

Premium

Betinho

"NBA? Havia campos que tinham baldes para os jogadores vomitarem"

Nasceu em Cabo Verde (a 2 de maio de 1985), país que deixou aos 16 anos para jogar basquetebol no Barreirense. O talento levou-o até bem perto da NBA, mas foi em Espanha, Andorra e Itália que fez carreira antes de regressar ao Benfica para "festejar no fim". Internacional português desde os Sub-20, disse adeus há seleção há apenas uns meses, para se concentrar na carreira. Tem 34 anos e quer jogar mais três ou quatro ao mais alto nível.