Baía do Tejo mostra oportunidades de investimento a embaixador do Qatar e empresários brasileiros

Barreiro, Setúbal, 18 abr 2019 (Lusa) -- O embaixador do Qatar em Portugal e um grupo de empresários brasileiros visitaram os territórios da Baía do Tejo, no distrito de Setúbal, com o objetivo de conhecer oportunidades de investimento, anunciou hoje a empresa.

"Os ativos da Baía do Tejo presentes nos concelhos de Almada, Barreiro e Seixal receberam recentemente duas importantes visitas que valorizam estes territórios e que permitem que as suas mais-valias sejam confirmadas, cheguem aos mais diversos destinos e se registem no radar de potenciais investidores", refere a Baía do Tejo em comunicado enviado à Lusa.

A Baía do Tejo é uma empresa pública que tem a responsabilidade de requalificar os territórios das antigas áreas industriais da Quimiparque, no Barreiro, da Siderurgia, no Seixal, e da Margueira, em Almada, em conjunto com as autarquias, conhecido como projeto do Arco Ribeirinho Sul ou 'Lisbon South Bay', nome utilizado na promoção internacional.

Em Almada está a avançar o projeto de requalificação da antiga área industrial da Margueira, conhecido como "Cidade da Água".

A "Cidade da Água" tem prevista uma área de construção de 630.000 m2 e, além do parque habitacional, está prevista a instalação de um hotel, um museu e de um centro de congressos, ligados entre si por praças e canais, dando origem a um conjunto de espaços públicos únicos.

O projeto, que tem dois quilómetros de frente ribeirinha, contempla também uma marina e um novo terminal fluvial intermodal, estando previsto que seja efetuado de forma faseada.

Já no Barreiro e no Seixal, a Baía do Tejo tem dois parques empresariais, com a espaço do Seixal a ter maior vocação industrial.

A visita, conduzida pela administração da Baía do Tejo, contou com a representação dos municípios envolvidos, com passagens pelos três territórios.

"O objetivo é dar a conhecer as oportunidades de investimento, bem como as vantagens e as facilidades oferecidas neste território a todos quantos queiram instalar as suas empresas na margem esquerda do Tejo, uma região de forte ADN industrial e que se afirma como extensão natural de Lisboa para acolher novos projetos industriais", acrescenta o documento.

No caso da comitiva brasileira, ficou o convite às entidades da Baía do Tejo e à Invest Lisboa para participarem nas próximas edições das feiras empresariais que se realizam no Estado de São Paulo, no Brasil.

"De ambas as visitas ficou a promessa de que toda a informação recolhida ia ser difundida nos canais próprios e enviada diretamente a vários grupos e a todas as associações empresariais locais de maior expressão", concluiu.

Ler mais

Exclusivos