Autárquicas: Professor José Azevedo é o candidato do Livre à Câmara de Ponta Delgada

O professor universitário e biólogo José Azevedo é o cabeça de lista do Livre à Câmara Municipal de Ponta Delgada, nos Açores, anunciou hoje o partido.

José Azevedo foi a primeira escolha no processo de primárias abertas para a constituição da lista, que terminou no domingo.

Com 54 anos, o candidato é um dos fundadores do partido e foi cabeça de lista do Livre pelos círculos de São Miguel e de compensação nas eleições legislativas regionais dos Açores, a 16 de outubro último.

À agência Lusa, o cabeça de lista justificou a candidatura por "haver muita coisa a fazer a nível autárquico, um nível muito importante para as questões que interessam ao Livre, nomeadamente na justiça social e ecologia".

"Há coisas muito graves a acontecerem em Ponta Delgada às quais não estão a ser dadas respostas, uma delas relacionada com os resíduos", afirmou José Azevedo, exemplificando que "a visão que impera sobre os resíduos é diametralmente oposta àquela que o Livre defende, que é de um controlo democrático da gestão de resíduos".

Segundo o cabeça de lista, o que existe "neste momento é uma visão empresarial dos resíduos enquanto fonte de lucro, para empresas e negócios".

José Azevedo apontou também a habitação e a mobilidade como outras bandeiras da candidatura a Ponta Delgada, referindo, no primeiro caso, que "com a expansão do turismo" se regista "a expulsão dos moradores dos centros da cidade".

"É uma desertificação de habitantes em prol do turismo, de viajantes de passagem", declarou, defendendo medidas que passam "pela regulamentação muito apertada da questão do alojamento local que pode ser feita a nível local".

Por outro lado, o candidato apontou a necessidade de ser "estimulado" o comércio de proximidade em Ponta Delgada "pela exclusão do tráfego automóvel do centro da cidade".

Para o cabeça de lista, a criação de amplas zonas pedonais "é o maior estímulo ao comércio, à cidadania e à vida na cidade".

"Há uma área onde se cruzam as políticas de habitação e a mobilidade. Reduzir o trânsito na cidade automóvel implica fazer um investimento forte no transporte coletivo de passageiros, cuja rede em Ponta Delgada não funciona", acrescentou.

Fundado em 2014, é a primeira vez que o Livre se apresenta a eleições autárquicas.

"Temos de aproveitar esta oportunidade, não podíamos não estar presentes", assinalou José Azevedo.

A Câmara de Ponta Delgada é liderada pelo PSD, com cinco mandatos, enquanto o PS tem quatro eleitos.

Às eleições autárquicas de 01 de outubro são também candidatos o atual presidente, José Manuel Bolieiro (PSD), o secretário regional dos Transportes e Obras Públicas, Vítor Fraga (PS), o empresário Rui Matos (PPM), o professor Rui Teixeira (CDU) e o arquiteto Kol de Carvalho (BE).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...