Autárquicas: Paulo Cafôfo promete requalificar o Funchal "do mar à serra" à frente da coligação Confiança

O presidente da Câmara Municipal do Funchal, Paulo Cafôfo, apresentou hoje, na capital madeirense, a sua recandidatura à liderança da autarquia nas eleições de 01 de outubro, assegurando que vai requalificar o município "do mar à serra".

Paulo Cafôfo é o cabeça de lista da coligação Confiança, composta pelo Partido Socialista, Juntos Pelo Povo, Bloco de Esquerda, Partido Democrático Republicano e Nós, Cidadãos, substituindo a atual coligação Mudança (PS, BE, PND, MPT, PTP e PAN), que derrotou o PSD nas eleições autárquicas de 2013, obtendo 39,22% dos votos.

O PND abandonou esta coligação ainda no decurso do primeiro ano do executivo camarário.

"No próximo mandato quero cumprir três grandes desígnios estruturais para o Funchal. Em primeiro lugar, a reabilitação urbana; em segundo lugar, a reabilitação e nova habitação social; em terceiro lugar, a afirmação definitiva da qualidade de vida nas zonas altas do Funchal", afirmou Paulo Cafôfo.

O candidato disse que pretende um concelho "desenvolvido a uma única velocidade" e assegurou que as suas promessas serão cumpridas.

"Já fizemos muito, mas muito mais há a fazer", realçou, lembrando que a Câmara do Funchal tem atualmente a dívida mais baixa dos últimos 15 anos, circunstância que foi alcançada com "muito esforço e rigor", mas sem descurar os apoios sociais e a qualidade de vida dos cidadãos.

Paulo Cafôfo vincou que, em 2016, a autarquia não devia "um único euro" aos fornecedores, ao mesmo tempo em que, no decurso do atual mandato, devolveu às empresas e aos munícipes cerca de 10 milhões de euros oriundos de taxas e impostos.

O candidato adiantou que, na sequência deste processo, o Funchal será, em 2017, a quinta cidade do país que mais IRS devolve às famílias.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.