Autárquicas: Nelson Martins é o candidato do PS à Câmara de Vale de Cambra

O professor e vereador Nelson Silva Martins é o candidato do PS à Câmara Municipal de Vale de Cambra nas próximas eleições autárquicas, revelou hoje a concelhia do partido.

O cabeça de lista também lidera a comissão concelhia socialista, onde foi unanimemente selecionado como o melhor colocado para disputar as eleições de outubro.

"Foi escolhido por ser um homem culto, competente, trabalhador, determinado, sensível, atento e preocupado com a sociedade", declarou à Lusa a vice-presidente do PS de Vale de Cambra, Ana Maria da Silva.

"É um homem com provas dadas ao nível da gestão pública, como dirigente escolar e associativo, e também enquanto vereador nos últimos quatro anos", realçou.

Nelson Silva Martins propõe-se agora reforçar "a transparência dos atos administrativos e o desenvolvimento do concelho, com incidência nas áreas da educação e da cultura, e restaurando o associativismo".

Como lema da candidatura escolheu "Verdade e Responsabilidade", propondo-se agilizar procedimentos que ajudem à "fixação e captação de empresas e de pessoas".

Admite que a vitória não será fácil "quando a sigla PS ainda é vista por muitos como sendo desprestigiante e perigosa nas terras de Cambra e, para muitos, não garante a estabilidade do emprego".

Mas defende que, "se as populações se enraízam em locais que proporcionam maior índice de bem-estar, os empresários procurarão concelhos com melhores acessos e reduzida burocracia, com mais infraestruturas e menos impostos, com maior formação e menor risco de investimento".

Lembrando que, enquanto vereador, lutou "pela transparência dos atos politicamente praticados e pela igualdade de tratamento dos munícipes", Nelson Silva Martins propõe-se agora combater "por um concelho com desenvolvimento sustentável, pela tolerância, pela meritocracia e pela igualdade de oportunidades".

Nascido em 1962, o candidato do PS é professor de História e liderou a o Agrupamento de Escolas das Dairas entre 1998 e 2013.

Ao nível do movimento associativo, foi dirigente da Associação Cultural e Recreativa de Vale de Cambra, assim como do Hóquei Académico de Cambra.

É ainda autor e coautor de contos, poemas e livros de historiografia local, além de escrever artigos de opinião na Imprensa local desde 1982.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Quem ameaça a União Europeia?

Em 2017, os gastos com a defesa nos países da União Europeia tiveram um aumento superior a 3% relativamente ao ano anterior. Mesmo em 2016, os gastos militares da UE totalizaram 200 mil milhões de euros (1,3% do PIB, ou o dobro do investimento em proteção ambiental). Em termos comparativos, e deixando de lado os EUA - que são de um outro planeta em matéria de defesa (o gasto dos EUA é superior à soma da despesa dos sete países que se lhe seguem) -, a despesa da UE em 2016 foi superior à da China (189 mil milhões de euros) e mais de três vezes a despesa da Rússia (60 mil milhões, valor, aliás, que em 2017 caiu 20%). O que significa então todo este alarido com a necessidade de aumentar o esforço na defesa europeia?