Autárquicas: Geógrafo Miguel Martins concorre pela CDU em Oliveira de Frades

O geógrafo Miguel Martins é o candidato da CDU à presidência da Câmara de Oliveira de Frades, tendo como principal ambição criar uma ligação mais próxima com os munícipes, caso seja eleito a 01 de outubro.

"Não faz sentido que uma câmara municipal esteja de costas voltadas para os seus munícipes. Queremos uma ligação muito mais próxima", sustentou.

Em declarações à Lusa, o candidato de 38 anos explicou que esta é a terceira vez que concorre à presidência da Câmara de Oliveira de Frades, tendo ido a votos nas Eleições Autárquicas de 2009 e 2013.

"Esta candidatura é de todas as pessoas que se reveem nos valores de abril. Trata-se de um trabalho coletivo, de pessoas disponíveis para trabalhar em prol da população de Oliveira de Frades", justificou.

No seu entender, a CDU é mesmo "a única força política que, nos últimos quatro a oito anos, tem feito oposição ao executivo camarário".

"Temos realizado imenso trabalho, com várias tomadas de posição e queremos reforçar essa disponibilidade para trabalhar. Se formos eleitos temos outros meios que atualmente não possuímos e ter alguém da CDU no executivo seria quase como do dia para a noite", referiu.

De acordo com o candidato da CDU, para além de procurar aproximar-se da população, caso seja eleito, pretende também trabalhar para melhorar a rede viária que está "em muito mau estado".

"Achamos que o território, que é o principal recurso do município, tem de ser bem gerido e essa será uma das prioridades da CDU para além de continuar o trabalho nas questões ambientais, pois é lamentável que haja esgotos a céu aberto. Queremos marcar a diferença, naquilo que também já vem sendo a marca da CDU, mesmo sem eleitos em Oliveira de Frades", rematou.

Sobre a sua lista, Miguel Martins revelou que Maria Alice Fernandes será a cabeça de lista à Assembleia Municipal.

Na 'corrida' autárquica estão também António Cabrita Grade pelo PS, o independente Paulo Ferreira e Paulo Antunes pelo PSD em coligação com o CDS/PP.

O atual presidente da Câmara, Luís Vasconcelos, está impossibilitado de se recandidatar devido à lei de limitação de mandatos.

Nas eleições autárquicas de 2013, a coligação PSD/CDS-PP obteve 71,42% dos votos, elegendo quatro mandatos, enquanto o PS teve 15,72% dos votos, conseguindo um mandato.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Quem ameaça a União Europeia?

Em 2017, os gastos com a defesa nos países da União Europeia tiveram um aumento superior a 3% relativamente ao ano anterior. Mesmo em 2016, os gastos militares da UE totalizaram 200 mil milhões de euros (1,3% do PIB, ou o dobro do investimento em proteção ambiental). Em termos comparativos, e deixando de lado os EUA - que são de um outro planeta em matéria de defesa (o gasto dos EUA é superior à soma da despesa dos sete países que se lhe seguem) -, a despesa da UE em 2016 foi superior à da China (189 mil milhões de euros) e mais de três vezes a despesa da Rússia (60 mil milhões, valor, aliás, que em 2017 caiu 20%). O que significa então todo este alarido com a necessidade de aumentar o esforço na defesa europeia?