Autárquicas: Ex presidente Carvalho de Moura lidera coligação PSD/CDS em Montalegre

O antigo autarca Carvalho de Moura, 76 anos, lidera a coligação PSD/CDS-PP que se candidata à Câmara de Montalegre para combater o poder instituído, o despovoamento e as fracas acessibilidades.

José António Carvalho de Moura, social-democrata e professor aposentado, foi o primeiro presidente a ser eleito para a Câmara de Montalegre após o 25 de Abril, cargo que ocupou entre 1977 e 1989.

Regressa agora ao combate político para encabeçar a lista da coligação PSD/CDS-PP às eleições autárquicas de 01 de outubro.

"Vamos em coligação porque, desse modo, temos uma maior abrangência junto da população e teremos um melhor resultado, o resultado que a gente deseja que é uma vitória nas eleições", afirmou hoje à agência Lusa.

O antigo autarca disse que aceitou o desafio porque "Montalegre está a sofrer as consequências de um poder que já está instalado há cerca de 30 anos" e referiu que, no concelho, o clima parece de "uma autêntica ditadura".

"A prioridade das prioridades é a desertificação. Nós temos que encontrar formas de alterar esta situação que se está a atravessar. O concelho está sem gente, as aldeias estão sem gente e o nosso concelho é, de todos os de Trás-os-Montes, aquele em que a desertificação mais se faz sentir", salientou.

Esta é, portanto, a principal preocupação e um tema de destaque no plano estratégico que a coligação está a delinear.

Carvalho de Moura afirmou que o município está também "muito isolado" e elencou as "estradas miseráveis e a falta de acessos às vias rápidas".

"Nós vamos fazer tudo o que for possível para que as estradas que nos ligam a Braga e a Chaves tenham uma solução de melhoria para que, realmente, as populações tenham outra qualidade de vida", sublinhou.

O candidato referiu que o objetivo da coligação é apresentar listas em todas as freguesias, no entanto, ressalvou as dificuldades sentidas.

"Temos muitíssima dificuldade em constituir listas. Nestes concelhos rurais e do interior, há muita dependência do poder e as pessoas, umas não querem dar a cara e outras não podem dar a cara", lamentou.

Na sua opinião, neste município "as pessoas não são livres de dar as suas opiniões, dar a cara e apresentarem-se nas listas com toda a liberdade".

O presidente da Câmara de Montalegre, Orlando Alves, já anunciou a sua recandidatura pelo PS a um segundo mandato.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...