Autárquicas: Empresário Nuno Fonseca candidata-se como independente em Felgueiras

O atual presidente da Associação Empresarial de Felgueiras, Nuno Fonseca, vai candidatar-se à presidência da autarquia local, encabeçando uma lista independente, confirmou hoje à Lusa fonte da candidatura.

Nuno Fonseca, de 38 anos, é empresário na área da restauração e liderou até há alguns meses o Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa (CETS), entidade que agrega as 12 associações empresariais daquele território.

Nuno Fonseca sucedeu ao atual presidente da Câmara, Inácio Ribeiro, na liderança da Associação Empresarial de Felgueiras, cargo que ainda desempenha.

Num documento enviado à Lusa, citando o candidato, Nuno Fonseca afirma liderar "um núcleo de cidadãos, mulheres e homens, empenhados e capacitados para uma mudança ansiada por todos".

"Sou independente, numa candidatura independente. A decisão de me apresentar a votos perante os felgueirenses surge pelo contacto diário com os cidadãos deste concelho que me transmitem a necessidade de uma transformação política e social, que eleve Felgueiras ao patamar onde merece e pode estar", refere ainda Nuno Fonseca.

Além de Nuno Fonseca, já é oficial a recandidatura do social-democrata Inácio Ribeiro a mais um mandato na Câmara, no âmbito de uma coligação PSD/PPM.

Na sexta-feira, o PS concelhio anunciou ter revogado a decisão de fevereiro passado que indicava como seu candidato o independente Pedro Araújo. A concelhia revelou estar à procura de um novo candidato.

Por seu turno, na quarta-feira, Pedro Araújo, também em comunicado, afirmava ser o candidato do PS à Câmara de Felgueiras, porque, até àquela data, o partido nada lhe tinha transmitido oficialmente em sentido contrário.

Ouvido hoje pela Lusa, Pedro Araújo afirmou que continua a aguardar que os órgãos do PS, concelhios e distritais, "ratifiquem ou retifiquem", formalmente, a decisão que consta do comunicado socialista, no sentido da revogação da sua indicação como candidato.

Reafirmou ainda que, "com ou sem o PS", será candidato à presidência da Câmara.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...