Autárquicas: CDU candidata professor aposentado Manuel André à Câmara de Mêda

O professor do ensino secundário aposentado Manuel André é o candidato da CDU - Coligação Democrática Unitária (PCP-PEV) à presidência da Câmara de Mêda nas eleições do dia 01 de outubro.

Manuel Pinto André, natural de Poço do Canto, no concelho de Mêda, com 66 anos, licenciado em Matemática, candidata-se pela primeira vez à liderança daquele município do distrito da Guarda.

O candidato reside em Odivelas, mas desloca-se frequentemente à aldeia de onde é natural, e em 2005 foi cabeça de lista pela CDU à Assembleia Municipal de Mêda.

Disse hoje à agência Lusa que aceitou o desafio da CDU para liderar a candidatura à presidência da autarquia de Mêda por considerar que o município "precisa de uma mudança de orientação" política.

"O concelho tem sido governado sucessivamente por PSD, CDS e PS, e o que se verifica é que tem estado num caminho de perda de capacidade em relação a todas as atividades que ai se desenvolvem", justificou.

Segundo o candidato, a intervenção da CDU "pode proporcionar uma alteração de rumo no sentido de valorizar as questões locais e de promover os serviços públicos".

"Hoje, as freguesias e as aldeias estão numa situação de algum envelhecimento e de desertificação humana e importa que as próprias autarquias assumam um caminho e uma política de procurar valorizar e fazer com que as populações se fixem, nomeadamente a população jovem, não só apoiando as atividades económicas para gerar emprego, mas que os serviços públicos tenham respostas para as necessidades das populações", disse.

Manuel André considera que a CDU "pode dar uma visão diferente e conseguir melhorar as condições que hoje existem" no concelho de Mêda.

O município de Mêda é presidido pelo socialista Anselmo Sousa, que se recandidata pelo PS ao segundo mandato.

No atual executivo, o PS tem dois vereadores, o CDS-PP também possui dois elementos e o PSD está representado com um eleito.

O PSD candidata o consultor financeiro Aires Amaral e o CDS-PP aposta na candidatura do atual vereador César Figueiredo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...