Autárquicas: CDU candidata Nicolau Manso à Câmara de Freixo de Espada à Cinta

A CDU candidata à Câmara de Freixo de Espada à Cinta Nicolau Manso, um bancário reformado de 74 anos, que se mostrou hoje emprenhado em ajudar a potenciar a agricultura, o turismo e a combater o despovoamento do concelho.

"Estou na corrida para dar um contributo ao meu concelho e ajudar a combater um mal que afeta o interior do país: o despovoamento", frisou.

Por outro lado, o candidato da CDU refere que será importante aproveitar as belezas naturais do concelho ribeirinho do Douro, a fim de promover os recursos turísticos do território.

"As belezas naturais deste concelho há muito que são conhecidas e não estão a ser devidamente aproveitadas. Tem de se investir mais neste setor", enfatizou.

No campo agrícola, a criação de regadio será outras das propostas, já que o concelho é propício à produção de azeite, vinho, amêndoa ou laranja.

Nicolau Manso é natural de Poiares, no concelho de Freixo de Espada à Cinta, no distrito de Bragança.

Os candidatos à Câmara de Freixo e Espada à Cinta são: Maria do Céu Quintas (PSD), Nuno Ferreira (PS), Edgar Gata (CDS-PP, MPT, PPM) e Nicolau Manso (CDU).

O executivo municipal em Torre de Moncorvo é composto por três eleitos pelo PSD.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.