Autárquicas: CDU candidata médico António Salgado Almeida à Câmara das Velas

O médico António Salgado Almeida é o candidato da CDU à Câmara das Velas, na ilha de São Jorge, Açores, nas eleições autárquicas de 01 de outubro, foi hoje anunciado.

Com 58 anos, o cabeça de lista é militante do PCP desde os 15, foi presidente da junta da sua freguesia natal, São Martinho de Candoso, concelho de Guimarães, município onde assumiu o lugar de vereador durante três mandatos sucessivos.

Foi, também, candidato a deputado à Assembleia da República e, nas últimas eleições legislativas regionais nos Açores, a 16 de outubro, foi cabeça de lista da CDU pelo círculo de São Jorge.

À agência Lusa, António Salgado Almeida justificou ter aceitado ser candidato à Câmara das Velas por nunca recusar uma batalha política proposta pelo PCP.

"Enquanto vestir a camisola e enquanto for militante do PCP estou e estarei sempre disponível para qualquer batalha política", afirmou, considerando ser "necessária a CDU para dar um outro ânimo e outra dinâmica aos órgãos autárquicos do concelho" das Velas.

O cabeça de lista destacou a forma como a CDU está na política e nas autarquias que, no seu entender, "faz a diferença".

"A CDU tem uma perspetiva de gestão colegial das autarquias, entende que tem de haver participação de todos os eleitos de uma forma democrática e isso não acontece no município de Velas", declarou António Salgado Almeida, defendendo a participação dos cidadãos através de orçamentos participativos e na discussão das grandes questões e decisões dos órgãos autárquicos.

Para o candidato comunista, é importante "dar um pouco a volta na forma de fazer política e de estar na política" no concelho, adiantando que a CDU tem um conjunto de ideias para o desenvolvimento de Velas e que, nalguns aspetos, fazem a diferença.

Uma melhor escolha dos investimentos autárquicos e do que é prioritário são duas situações que o cabeça de lista da CDU aponta, realçando, igualmente, uma "maior intervenção social e uma maior preocupação com os idosos".

Sobre o ato eleitoral de 01 de outubro, António Salgado Almeida adiantou que a CDU parte "com os pés assentes na terra de quem nunca conseguiu eleger, nem para a assembleia municipal nem para a câmara, qualquer eleito".

"A nossa ambição é conseguir ter eleitos nos órgãos autárquicos, se o conseguirmos será muito bom", referiu, salientando que era importante para o concelho, porque a CDU "é uma voz que faz falta".

O município de Velas é o único liderado pelo CDS-PP no arquipélago dos Açores, partido que tem três mandatos. PSD e PS dividem os restantes dois.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...