Autárquicas: CDU candidata chefe de Finanças Eduardo Boloto à Câmara de Vouzela

O chefe de finanças Eduardo Boloto é o candidato da CDU à presidência da Câmara de Vouzela, onde se compromete a implementar um projeto pensado para os próximos 30 a 40 anos, caso seja eleito a 01 de outubro.

"Nestes últimos 43 anos a seguir ao 25 de Abril os presidentes de Vouzela e até de toda a região de Lafões olharam sempre para o voto e não para o desenvolvimento da região. Se for eleito comprometo-me a fazer um projeto para 30 a 40 anos e não projetos para 12 anos ou de quatro em quatro anos", sustentou.

Em declarações à Lusa, o candidato de 60 anos sublinhou a importância dos concelhos da região Dão Lafões se desenvolverem em conjunto, não olhando apenas para o seu concelho.

"Temos de desenvolver a região de Lafões, com projetos e candidaturas em comum, para daqui a uns anos termos uma região como o Gerês, por exemplo", acrescentou.

No seu entender, os presidentes das câmaras da região Dão Lafões têm de pensar em conjunto e "desenvolver o que a natureza oferece: a Barragem de Ribeiradio em Oliveira de Frades, as Termas em S. Pedro do Sul e o património natural em Vouzela".

Eduardo Boloto apontou também que "é inconcebível haver uma variante nas Termas de S. Pedro do Sul e depois chegar-se a Vouzela onde há outra variante, mas tem 1,5 quilómetros que se reivindica, mas ninguém faz nada para juntar as duas variantes".

"Também falta muito saneamento: a freguesia de Campia, a segunda mais populosa, não tem saneamento e isso é inadmissível", referiu.

Esta é a primeira vez que Eduardo Boloto concorre à presidência da Câmara de Vouzela, mas já foi candidato em Oliveira de Frades na década de 90, onde trabalhou 14 anos.

Foi também candidato por duas vezes em S. Pedro do Sul, onde reside e trabalha como chefe de Finanças há seis anos.

"Como não posso concorrer no concelho onde sou chefe há seis anos, o partido pediu-me há quatro anos para ser candidato a Sernancelhe. Este ano o partido pediu-me para concorrer em Vouzela, onde também já trabalhei e onde tenho vários laços e amizades, pois fui comandante dos bombeiros de S. Pedro Sul e trabalhei muito com os bombeiros de Vouzela", concluiu.

Na 'corrida' autárquica está também o atual presidente da Câmara de Vouzela, Rui Ladeira pelo PSD, o escriturário António Meneses pelo PS e o advogado Paulo Lino Martins, um independente que concorre nas listas do CDS/PP.

Nas autárquicas de 2013, o PSD conseguiu 49,30% dos votos, elegendo quatro mandatos, enquanto que o PS conquistou 38,60% e três mandatos.

As eleições autárquicas realizam-se a 01 de outubro.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Quem ameaça a União Europeia?

Em 2017, os gastos com a defesa nos países da União Europeia tiveram um aumento superior a 3% relativamente ao ano anterior. Mesmo em 2016, os gastos militares da UE totalizaram 200 mil milhões de euros (1,3% do PIB, ou o dobro do investimento em proteção ambiental). Em termos comparativos, e deixando de lado os EUA - que são de um outro planeta em matéria de defesa (o gasto dos EUA é superior à soma da despesa dos sete países que se lhe seguem) -, a despesa da UE em 2016 foi superior à da China (189 mil milhões de euros) e mais de três vezes a despesa da Rússia (60 mil milhões, valor, aliás, que em 2017 caiu 20%). O que significa então todo este alarido com a necessidade de aumentar o esforço na defesa europeia?