Autárquicas: CDS-PP de Matosinhos apoia candidato independente António Parada

O líder da Comissão Política Concelhia do CDS-PP de Matosinhos, Pedro Nuno Gonçalves, adiantou hoje à Lusa que o partido vai apoiar o Movimento de Cidadãos Independentes - António Parada SIM.

Pedro Nuno Gonçalves explicou que o candidato independente lhe apresentou o seu projeto para Matosinhos e que, após reflexão, o partido decidiu apoiar este movimento por "aproximação de valores".

"Aceitamos dar o apoio principalmente pela aproximação de valores e de projetos que temos com o movimento para o nosso concelho como, por exemplo o emprego, o turismo, a educação, a coesão social, a cultura e muitos outros pontos que consideramos estarem a ser mal geridos pela autarquia", frisou.

O líder centrista explicou que não se trata de um apoio sem precedentes, sublinhando que "no Porto um cenário parecido também se verifica. Sem querer fazer uma colagem de aproveitamento à candidatura independente do concelho vizinho são claras as semelhanças, movimento independente, projeto de desenvolvimento, dinâmica vencedora e apoio do CDS-PP".

Pedro Nuno Gonçalves frisou que "muito se fala" que existem em Matosinhos três candidaturas socialistas, sendo uma delas encabeçada pelo ex-socialista António Parada, "o que não corresponde à verdade".

"Este movimento é criado por um grupo de cidadãos não filiados em partidos políticos com tendências diversas e que desafiaram um matosinhense, politicamente experiente, humilde e genuíno que não demorou a escolher Matosinhos em detrimento do partido onde há muito militava", acrescentou.

Na opinião de Pedro Nuno Gonçalves, é necessário afastar este movimento de mais uma candidatura do PS.

António Parada, diretor técnico da Docapesca, candidatou-se nas autárquicas de 2013 pelo PS e, após 35 anos de militância no partido, decidiu desfiliar-se a 21 de abril em rotura com a Federação Distrital, nomeadamente com o seu presidente, pela forma como conduziu o processo de escolha do candidato do partido às eleições deste ano, a deputada Luísa Salgueiro.

O candidato independente, ex-presidente da Junta de Freguesia de Matosinhos, assume a sua candidatura como "livre de qualquer condicionalismo partidário" e assente nos princípios da solidariedade e da cidadania.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...