Autárquicas: CDS candidata funcionário hoteleiro Pedro Silva em Manteigas

O funcionário hoteleiro Pedro Silva, de 27 anos, é o candidato do CDS-PP à presidência da Câmara Municipal de Manteigas nas eleições autárquicas do dia 01 de outubro, disse hoje o próprio à agência Lusa.

Pedro Melo Pinheiro Amaral da Silva, que se candidata pela primeira vez ao cargo, disse que pretende dar "uma nova esperança" ao município de Manteigas, o mais pequeno do distrito da Guarda, situado na Serra da Estrela.

"A região da Beira Interior [onde o concelho de Manteigas se situa] está cada vez mais despovoada e a candidatura do CDS vem trazer ideias e projetos, uma nova realidade, uma nova esperança e uma nova luta", justificou à Lusa.

O candidato do CDS-PP sublinha que, pelo facto de ser jovem, pretende "mudar as políticas, ser empreendedor e ser criativo".

Se for eleito presidente da autarquia, promete que trabalhará para "impedir" que os jovens abandonem o concelho de Manteigas e desenvolverá medidas para fixar jovens de outras latitudes.

"Manteigas tem poucos jovens. Toda a gente quer ir para Lisboa e eu vim de Lisboa para a Beira Interior e não me arrependi", disse, defendendo medidas para "impedir que os jovens saiam" e venham outros que representem "uma nova esperança" para o território.

Pedro Silva também defende uma aposta maior no turismo e o aumento do apoio à população idosa do concelho, pois declara que uma das suas preocupações tem a ver com as pessoas.

O jovem candidato assumiu o desafio de se candidatar à liderança do município por o CDS-PP representar "uma nova esperança e uma nova realidade, visto que Manteigas está a morrer com algumas políticas do PS e do PSD" que têm governado os destinos da autarquia.

"Eu, como jovem, quero trazer uma nova realidade e uma nova vida para Manteigas", disse, vincando que a sua candidatura representa "uma nova esperança" para o concelho.

O município de Manteigas é presidido pelo social-democrata José Manuel Biscaia, que se recandidata.

No atual executivo, o PSD tem a maioria, com três elementos, e o PS possui dois.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Começar pelas portagens no centro nas cidades

É fácil falar a favor dos "pobres", difícil é mudar os nossos hábitos. Os cidadãos das grandes cidades têm na mão ferramentas simples para mudar este sistema, mas não as usam. Vejamos a seguinte conta: cada euro que um português coloca num transporte público vale por dois. Esse euro diminui o astronómico défice das empresas de transporte público. Esse mesmo euro fica em Portugal e não vai direto para a Arábia Saudita, Rússia ou outro produtor de petróleo - quase todos eles cleptodemocracias.