Autárquicas: CDS candidata assistente social Andreia Vasconcelos à Praia da Vitória

Andreia Vasconcelos, assistente social, de 32 anos, foi hoje anunciada como candidata do CDS-PP à Câmara Municipal da Praia da Vitória, nos Açores, comprometendo-se a ouvir as pessoas e a revitalizar o concelho.

"Tem-se falado muito em infraestrutura e este último mandato foi à volta da infraestrutura, mas a base de qualquer sociedade passa pelas pessoas. Nós queremo-nos focar na mudança, mas também na aproximação, saber o que se pretende, o que se quer fazer de novo e pôr a Praia [da Vitória] novamente no mapa", salientou, em declarações aos jornalistas, na apresentação da sua candidatura.

Membro da Juventude Popular, a jovem centrista integrou as listas do partido nas últimas eleições legislativas regionais e candidata-se agora pela primeira vez à autarquia da Praia da Vitória.

Andreia Vasconcelos disse que aceitou o desafio para "trazer alguma revitalização" ao concelho, manifestando vontade de cativar os jovens e colocá-los a pensar no futuro da Praia da Vitória.

A candidata do CDS-PP salientou ainda a intenção de aproximar as pessoas e auscultá-las para tentar perceber quais são as suas "reais preocupações e necessidades".

"Venho da área social e acho que é uma questão que tem sido deixada aquém das expectativas das pessoas e o meu projeto passa pelas pessoas", frisou.

Quanto a compromissos, em caso de eleição, Andreia Vasconcelos disse apenas que "o CDS vai dar o seu melhor".

"Prometer não é fácil. Nós não temos noção de que tesouraria é que a câmara dispõe, estaria a ser hipócrita se falasse em grandes promessas", apontou.

Questionada sobre a redução militar norte-americana na base das Lajes, que nos últimos anos afetou a economia do concelho, a candidata centrista defendeu que é preciso encontrar alternativas à dependência norte-americana.

"A redução do efetivo americano é um problema, no entanto, acho que temos de pensar além da base das Lajes. Sim, é um problema, mas temos de pensar noutras formas de ajudar a economia. A base deu o que tinha a dar, queremos que continue a dar, mas não podemos ser dependentes para sempre", sublinhou.

Por sua vez, o líder regional do CDS-PP, Artur Lima, considerou que esta candidatura traz propostas "diferentes do socialismo opressivo que se vive no concelho", alegando que a sociedade na Praia da Vitória "não respira" e é "muito dependente".

"A Praia da Vitória precisa de sangue novo, de inovação, de gente com ideias, de gente jovem e bonita. É essa a candidatura que o CDS traz, com uma frescura que a Praia da Vitória necessita", adiantou.

Ler mais

Exclusivos