Autárquicas: Candidato do BE à Câmara da Calheta, nos Açores, preocupado com abastecimento de água

O cabeça de lista do Bloco de Esquerda à Câmara Municipal da Calheta, nos Açores, defendeu hoje uma rede de abastecimento de água eficaz e manifestou preocupações sociais e económica.

"É importante uma forte aposta para que se consiga uma maior quantidade de água disponível nos depósitos", declarou à agência Lusa Paulo Fontes, que pretende ver construído mais um depósito no concelho para satisfazer as necessidades da população e da lavoura.

O militante do BE, que foi candidato do PS nas últimas eleições autárquicas à assembleia de freguesia da Ribeira Seca, também na ilha de São Jorge, considera que o município "deve ser parceiro" das empresas do concelho, através da eliminação da Derrama para "aliviar as despesas" com que o tecido empresarial é confrontado.

"Por outro lado, o município deve ser parceiro das novas empresas que surgem no setor do turismo que necessitam de apoio para se enraizarem no concelho", afirmou.

Paulo Fontes, que foi candidato do BE nas eleições legislativas regionais em 2016, quer também que a câmara privilegie a aquisição de serviços e bens a empresas locais.

Destacando a necessidade de combater a precariedade laboral, o cabeça de lista sustenta que esta é uma forma de fixar a população, referindo a este propósito que cerca de meio milhar de pessoas "abandonaram o concelho nos últimos quatro anos".

Quanto ao incremento do turismo na ilha, o candidato defende a necessidade criar mais oferta hoteleira e melhorar os serviços prestados nesta área e na restauração.

Já no âmbito das acessibilidades aéreas, Paulo Fontes quer que seja ultrapassada a falta de lugares durante a época alta, referindo que "muitos turistas ficam impossibilitados de chegar a São Jorge" devido a esta situação.

Licenciado em Ciências Sociais, Paulo Fontes é funcionário no centro de saúde da Calheta e membro da direção da Sociedade Filarmónica Recreio e Progresso dos Lavradores em Santo Antão há 12 anos.

Integra também a direção da Sociedade União Popular da Ribeira Seca e foi dirigente do Grupo de Escoteiros 121, da Calheta.

A Câmara da Calheta é o único município nos Açores liderado por independentes, que conquistaram nas eleições autárquicas de 2013 dois mandatos, o mesmo número do PS. O PSD tem um vereador.

Ler mais

Exclusivos