Autárquicas: Bruno Gomes é o candidato do PTP à Câmara de Loures

O rececionista Bruno Gomes é o candidato escolhido pelo Partido Trabalhista Português (PTP) para concorrer à Câmara Municipal de Loures, tendo como prioridades os transportes, a educação e a saúde, anunciou hoje o próprio à agência Lusa.

Bruno Gomes tem 35 anos e concorre pela segunda vez (foi candidato em 2013) à presidência da Câmara Municipal de Loures (distrito de Lisboa) pelo PTP.

Em declarações à agência Lusa, o candidato do PTP referiu que se candidata a Loures porque cresceu no concelho e não concorda com muitas das políticas municipais, embora reconheça algum mérito ao atual executivo pelo facto de ter conseguido reduzir a dívida da autarquia.

Entre as suas prioridades, Bruno Gomes aponta os setores da educação, da saúde, da habitação e dos transportes, considerando ser este último o que merece maior atenção.

"É preciso acabar com o monopólio da Barraqueiro e da Rodoviária, que fazem o que querem e o que lhes apetece. É preciso arranjar mais alternativas rodoviárias", defendeu o candidato, sublinhando que a chegada do metro ao concelho "não iria resolver absolutamente nada".

"O metro chegar a Loures é uma vaidade porque as freguesias iriam continuar sem alternativas de transporte", argumentou.

Questionado pela Lusa sobre cenários pós-eleitorais e sobre a polémica que tem envolvido o candidato do PSD, André Ventura, devido a declarações sobre a comunidade cigana, Bruno Gomes disse concordar com a ideia, embora reconheça que ela tenha sido "manifestada de forma errada".

"Existe um grande número de habitações sociais no concelho e um grande número de pessoas que são apoiadas e não cumprem com as suas obrigações, nomeadamente com o pagamento das rendas. Não se pode excluir ninguém, mas também não se podem permitir abusos. Há direitos e deveres que todos devem cumprir", defendeu.

Nas próximas eleições autárquicas, marcadas para 01 de outubro, além de Bruno Gomes (PTP), concorrem à presidência da Câmara Municipal de Loures Bernardino Soares (CDU), atual presidente do executivo, Sónia Paixão (PS), André Ventura (coligação PSD/PPM), Fabian Figueiredo (BE), Pedro Pestana Bastos (CDS-PP), Ana Sofia Silva (PAN), Mário Pontes (PDR e JPP) e Nélson Batista (Nós, Cidadãos).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.