Autárquicas: Antigo vereador Sande e Castro lidera candidatura independente em Cascais

O antigo vereador João Sande e Castro vai concorrer pelo movimento independente "Também és Cascais" à presidência da câmara municipal nas próximas eleições autárquicas, respondendo a um convite nascido nas "redes sociais", explicou hoje o candidato.

"Esta é uma candidatura que nasce das redes sociais, de pessoas descontentes com o rumo que a câmara está a dar ao concelho e que criaram um grupo para troca de impressões, troca de ideias e fazer sugestões de melhoria à câmara", disse à Lusa João Sande e Castro.

O antigo vereador eleito pelo CDS-PP numa coligação liderada pelo ex-presidente social-democrata António Capucho acrescentou que as sugestões apresentadas à autarquia foram sendo "barradas numa atitude de rejeição da câmara e isso fez o grupo evoluir" e concorrer às próximas eleições autárquicas.

"Um grupo de pessoas veio depois ter comigo e convidou-se para apresentar uma candidatura independente à câmara", contou Sande e Castro, adiantando que o movimento se propõe concorrer a todos os órgãos do município, designadamente à assembleia municipal e às juntas de freguesia.

O antigo autarca, de 50 anos, com formação académica em direito e relações internacionais, assumiu durante 12 anos o pelouro do Desporto na Câmara de Cascais, até 2013, altura em que o sucessor de Capucho, que deixou a câmara por motivos de saúde, lhe retirou as competências em consequência do "afastamento" político.

Nas anteriores eleições autárquicas, Sande e Castro liderou a lista independente "Todos Por Cascais" à Câmara, mas o Tribunal Constitucional (TC) impugnou a candidatura porque algumas assinaturas não estavam "em conformidade com a lei", segundo adiantou na altura à Lusa.

Agora, o candidato assegurou que essa questão será devidamente acautelada, apesar de criticar que "há uma exigência muito maior com as candidaturas independentes do que para os partidos políticos".

O candidato, no entanto, admitiu a ambição de "conseguir chegar às 35.000 pessoas que votam nas legislativas e nas Presidenciais em Cascais e não votam nas autárquicas".

"Acreditamos que é possível corrigir as assimetrias no desenvolvimento do concelho e recuperar o bem-estar dos seus habitantes e trabalhadores", afirmou, em comunicado, o movimento independente.

Além da esperada recandidatura do atual presidente da autarquia, Carlos Carreiras (PSD), eleito em coligação com o CDS-PP, já foram anunciadas as candidaturas de Gabriela Canavilhas, pelo PS, do vereador Clemente Alves, da CDU, e de Cecília Honório, do Bloco de Esquerda.

As eleições autárquicas realizam-se a 01 de outubro.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.