Alteração da lei vai permitir à Federação de Desportos de Inverno fazer campeonatos nacionais fora do país

O secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, garantiu à Federação de Desportos de Inverno de Portugal (FDIP) alterar a legislação para que os campeonatos nacionais sejam feitos no estrangeiro quando não houver neve no país.

Segundo o governante, essa exceção só poderá ser introduzida quando for revisto o Regime Jurídico das Federações Desportivas, processo que terá início ainda este ano, embora o governante não se comprometa com datas para a sua conclusão.

"Garanti que quando fosse feita uma alteração ao Regime Jurídico das Federações Desportivas, seria feita prevendo esta circunstância, algo excecional", garantiu João Paulo Rebelo, no final da gala da FDIP, realizada na noite de sábado, nas Penhas da Saúde, Covilhã.

O secretário de Estado sublinhou não querer apontar um prazo por existirem aspetos que não domina, mas assegura estar para breve o início dos trabalhos com vista à alteração legislativa.

"Pior do que não fazer, é criar uma expectativa de que vamos fazer e depois não cumprimos. Não é a minha forma de estar. A única certeza que posso dar é que os trabalhos vão ser iniciados. Se conseguirmos fazer isso ainda durante esta sessão legislativa, será uma boa notícia", acrescentou João Paulo Rebelo.

Pedro Farromba, presidente da FDIP, mostrou-se satisfeito pela garantia deixada pelo governante, que abre a porta a uma reivindicação antiga da federação.

"Não se vai alterar o Regime Jurídico por uma questão destas, mas espero que, quando se alterar, isto seja contemplado. Hoje tive aqui essa certeza, que nunca tive antes de nenhum secretário de Estado. Espero que seja um ponto a favor das nossas atividades. É mais do que tinha ouvido até agora", vincou o dirigente.

O presidente da federação clarifica não ser intenção disputar os campeonatos nacionais das modalidades de neve no estrangeiro, apenas quando não existirem condições para que se realizem em Portugal, como aconteceu há cinco anos. "Será sempre uma exceção, nunca será a regra", assegurou.

Pedro Farromba, desde 2009 no cargo, e que na noite de sábado tomou posse para o que é estatutariamente o último mandato, de quatro anos, elogia a postura de João Paulo Rebelo.

"Este secretário de Estado tem-nos demonstrado um apoio significativo e acredito que vamos conseguir com ele desígnios importantes para a federação. Desde logo a questão dos estatutos, que andavam aqui empurrados, parece que por alguma inércia, e agora parece que se vai finalmente resolver", afirmou o dirigente.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.