Acusado de matar a tiro segurança de discoteca em Coimbra começa hoje a ser julgado

O Tribunal de Coimbra começa hoje a julgar um jovem de 22 anos acusado de matar com 14 tiros o segurança de uma discoteca daquela cidade, em 2017.

O caso ocorreu a 08 de janeiro de 2017 e surgiu após a namorada do arguido se ter envolvido numa disputa com a gerente da discoteca Avenue Club, tendo desferido "várias pancadas na face e nariz" da responsável do estabelecimento com recurso a uma soqueira, refere a acusação a que a agência Lusa teve acesso.

De acordo com o Ministério Público, o segurança da discoteca conseguiu retirar a soqueira da namorada do arguido e o casal abandonou o local com um amigo que os acompanhava.

Posteriormente, o jovem regressou ao local e aí disparou vários tiros, atingindo de forma mortal o segurança daquele espaço de diversão.

No âmbito do julgamento que vai decorrer em Coimbra, a namorada do arguido vai também responder por detenção de arma proibida e ofensa à integridade física qualificada.

Como arguidos estão também o amigo que forneceu a arma - acusado de detenção de arma proibida - e o companheiro da mãe do suspeito, que responde pelo crime de favorecimento pessoal, por ter ajudado na fuga.

O julgamento começa às 09:30

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.