Acusado de matar a tiro segurança de discoteca em Coimbra começa hoje a ser julgado

O Tribunal de Coimbra começa hoje a julgar um jovem de 22 anos acusado de matar com 14 tiros o segurança de uma discoteca daquela cidade, em 2017.

O caso ocorreu a 08 de janeiro de 2017 e surgiu após a namorada do arguido se ter envolvido numa disputa com a gerente da discoteca Avenue Club, tendo desferido "várias pancadas na face e nariz" da responsável do estabelecimento com recurso a uma soqueira, refere a acusação a que a agência Lusa teve acesso.

De acordo com o Ministério Público, o segurança da discoteca conseguiu retirar a soqueira da namorada do arguido e o casal abandonou o local com um amigo que os acompanhava.

Posteriormente, o jovem regressou ao local e aí disparou vários tiros, atingindo de forma mortal o segurança daquele espaço de diversão.

No âmbito do julgamento que vai decorrer em Coimbra, a namorada do arguido vai também responder por detenção de arma proibida e ofensa à integridade física qualificada.

Como arguidos estão também o amigo que forneceu a arma - acusado de detenção de arma proibida - e o companheiro da mãe do suspeito, que responde pelo crime de favorecimento pessoal, por ter ajudado na fuga.

O julgamento começa às 09:30

Ler mais

Exclusivos

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.