Ações de grupo chinês ZTE caiem 39% após retomar negociações em bolsa

As ações do gigante chinês das telecomunicações ZTE caíram hoje 39%, após a empresa retomar as negociações na bolsa de Hong Kong, ao fim de dois meses de suspensão, devido a problemas legais nos Estados Unidos.

Na bolsa de Shenzhen, onde o grupo tem sede, as ações recuaram 10%, o máximo permitido pelo regulador chinês antes de as negociações serem suspensas.

Em abril, o Departamento de Comércio dos EUA proibiu as empresas norte-americanas de venderem componentes à fabricante chinesa de equipamentos de telecomunicação.

A proibição, válida por sete anos, surgiu como resposta a um caso de violação das sanções norte-americanas pela ZTE na venda ilegal de produtos de tecnologia para o Irão.

Na semana passada, no entanto, a empresa chegou a um acordo para levantar as medidas, a troco de uma multa de mil milhões de dólares (852 milhões de euros) e uma remodelação da sua direção.

Exclusivos

Premium

Líderes europeus

As divisões da Europa 30 anos após o fim da Cortina de Ferro

Angela Merkel reuniu-se com Viktor Orbán, Emmanuel Macron com Vladimir Putin. Nos próximos dias, um e outro receberão Boris Johnson. E Matteo Salvini tenta assalto ao poder, enquanto alimenta a crise do navio da ONG Open Arms, com 107 migrantes a bordo, com a Espanha de Pedro Sánchez. No meio disto tudo prepara-se a cimeira do G7 em Biarritz. E assinala-se os 30 anos do princípio do fim da Cortina de Ferro.