Abate de bovinos nos Açores aumentou no primeiro trimestre de 2018

O abate de bovinos nos Açores aumentou, nos primeiros três meses do ano, 5% para consumo local e 9,4% para exportação para fora do arquipélago, comparando com o mesmo período de 2017, anunciou hoje o Governo regional.

As ilhas de São Jorge e Pico foram aquelas onde mais cresceu o abate para exportação, com aumentos de 39,73% e 25,49%, respetivamente, segundo uma nota da Secretaria regional da Agricultura e Pescas enviada à comunicação social.

Quanto ao abate de bovinos para consumo local, o crescimento foi de 5% nos primeiros três meses de 2018, comparativamente com igual período de 2017, com "especial destaque", novamente, para nas ilhas de São Jorge e Pico, que registaram um aumento do número de abates na ordem dos 30%.

A Secretaria Regional da Agricultura e Florestas dos Açores destaca ainda "o aumento expressivo de 28,5% no abate de carne com Identificação Geográfica Protegida (IGP)".

O total de bovinos "aprovados para abate nos matadouros dos Açores cresceu 7,4% no primeiro trimestre deste ano", o que "traduzem" a aposta do executivo açoriano "na valorização da fileira da carne", que representa um "volume de negócios anual de cerca de 50 milhões de euros", lê-se na mesma nota.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.